Sem categoria

Bibliolatria? Esse não é o nosso problema!

Virou moda no mundo cult evangelical dizer que a Igreja Evangélica Brasileira é bibliólatra. Será que somos bibliólatras? Será que colocamos a Palavra de Deus acima do Deus da Palavra? Não creio. Esse não é o nosso problema, aliás, o nosso problema é justamente o contrário. Aliás, os cults costumam apresentar problemas que não são problemas e ignorar questões que realmente são sérias.

A Igreja Evangélica Brasileira é, isso sim, desapegada da Bíblia. O hábito de leitura é maior que a média da população brasileira, mas ainda se lê pouco, muito pouco. Os comentários bíblicos são pouco vendidos e as pregações expositivas são raras ou inexistentes, especialmente no meio pentecostal. E ainda você deve considerar os livros comprados e não lidos.

A centralidade do kerigma (proclamação) é centro no culto cristão. Deus falando é muito importante para ser um aspecto desprezado, mas que infelizmente é. Ora, se os crentes em geral estudassem as Sagradas Escrituras com afinco não estariam, inclusive, sem um senso crítico sobre as coisas que os cults dizem.

Os cults dizem que ensinam “fora da caixa”, mas ouse discordar de suas teses para ver como você receberá os piores adjetivos, como retrógrado. Todo relativista é assim mesmo: um absolutista com o falso rótulo da tolerância. É mais fácil encontrar o papai-noel do que um relativista praticante.  

A suposta bibliolatria dos evangélicos é uma fantasia. Existe? Deve existir, mas numa escala muito pequena para generalizar. 

7 comentários em “Bibliolatria? Esse não é o nosso problema!

  1. Concordo que realmente o pentecostais em geral não conhecem as escrituras como deveria. Se lê pouco a Bíblia, não existem pregações expositivas e, infelizmente, o nível da EBD é baixíssimo, e o que deveria ser uma escola infelizmente é um campo onde cada um fala o que acha e não existe nenhuma exposição sistemática do ensino. Colabora para isso o nível das revistas de apoio que, em minha opinião, é muito baixo.

    Todavia não considero esse o único problema. Os pentecostais em geral, apesar de não conhecerem a bíblia, ignoram QUALQUER outra coisa que não seja a própria bíblia. Ignoram conceitos filosoficos e, o que para mim é mais grave, a própria história da igreja cristã. Por ignoraram a tradição apostólica (não no mesmo sentido que dizem os católicos) acabam se isolando da história da igreja, uma história que é deles também. Por conta disso sempre existe a velha tendência de se tentar inventar a roda e isso faz com que velhas heresias volta e meia apareçam novamente em nosso meio. Ou você nunca viu nenhum pentecostal nestoriano sob a ânsia de se negar o Theotokos?.

    Pois é, o cristão deveria se preocuar em estudar sim a bíblia, mas também deveria se preocupar em estudar a sua própria tradição, a sua própria história, desde os pais da igreja até os reformadores.

    A paz.

    Curtir

  2. A bibliolatria não se refere ao fato da leitura em si, mas o desprezo pelas demais ciências que complementam o acesso ao conhecimento pleno das Escrituras.
    É a utilização da hermenêutica sem se utilizar da exegese.
    É o utilizar a Bíblia como amuleto.
    É o brincar de advinho com ela.
    É o usá-la como manual ao invés de princípios.
    É absolutizar o que deve a interpretação, sendo que é preciso relativizar por conta de questões sócio-culturais. Pois, por conta disso, não praticamos esportes; as mulheres não podem cuidar de seus cabelos; a letra mata; o marido “manda” na casa; em nome da sinceridade, há a exaltação da falta de educação; a religiosidade cresce, e Cristo… Ah! Cristo, fica cada vez mais longe!

    Abraços

    Curtir

  3. Eu sou católico e discordo que no meio evangélico exista a tal da bibliolatria. Fui protestante por 15 anos. Para que a Bíblia fosse objeto de idolatria, seria indispensável que o evangélico cumprisse a Bíblia a risca e tal não ocorre. Os evangélicos de modo geral ignoram uma série de disposições bíblicas. Entre as muitas não observâncias bíblicas no meio evangélico podemos citar a recitação do Pai Nosso, a Bem Aventurança de Maria, o evangelho de Tiago que determina que a fé sem obras é morta, a proibição da interpretação privada em Pedro e a afirmação de que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade prevista em Timóteo. Se todos fossem bibliólatras não haveria também divergências de doutrinas. Exatamente porque não concordam uns com os outros é que se dividem em milhares de igrejas. Ora, se alguém não concorda com outro, é óbvio que alguém ou talvez até os dois não praticaram a Bíblia de forma correta. Portanto, é injusto chamar o evangélico de adorador da Bíblia. Ademais, a idolatria não é conceito tão simplório tal como é apresentado pelos lobos devoradores que andam por aí. A idolatria consiste em substituíção do culto que é devido a DEUS por um ídolo que é elevado no coração do idólatra a condição de DEUS. Não é o caso das imagens católicas e nem tampouco da Virgem Maria. Adoração católica é devida somente a DEUS. Não por acaso realizamos o sacrifício da Santa Missa. Sacrifício algum é oferecido em nomes de santos ou de Maria, mas apenas no nome santo de Jesus Cristo. A idolatria evangélica maior é sem dúvida a idolatria que o crente faz a si mesmo como intérprete “infalível” da Bíblia. Não há um crente que admita correção de quem quer que seja em sua leitura individual. O crente que condena a infalibilidade papal, pretende convencer aos demais sobre sua doutrina ? Mas como ? Se antes de convencer a um católico e mesmo aos seus pares de sua doutrina deve concvence-los de que não há um homem infalível, como pretende este mesmo que alguém lhe tenha por confiável ?
    Basta um crente discordar de outro que já surge o embrião de uma nova denominação. Cada crente escolhe o que pretende seguir de Lutero, Calvino, entre outros “mestres”. Por vezes utiliza-se de interpretação literal e tem horas que a condena. Uma hora pode estar implícito e outra hora tem que estar claro. Quando se cobra de um católico determinadas doutrinas exige-se a interpretação literal, como no caso do purgatório ou no batismo de crianças. Mas logo a seguir quando se mostra que Jesus diz a respeito de sua carne ser verdadeiramente comida e seu sangue ser verdadeiramente bebida, aquele crente literal passa a ser subjetivo. Quando perguntado sobre Pedro, o crente passa para o grego, mesmo sabendo que Jesus falava aramaico. E quando interessar ele usará também o próprio aramaico e o hebraico. Depois chama por Constantino e ao mesmo tempo avoca Lutero que seria sacerdote da tal igreja de Constantino. Depois chama Calvino e faz Constantino desaparecer tão rápido como surgiu. Vale sempre o que cada crente “infalível” quiser que seja tido como verdade. A idolatria evangélica consiste na adoração que cada crente faz de si mesmo como intérprete da Bíblia. Cada crente é o “unico” certo e está apto a contestar todas as demais doutrinas e determinar quem é e quem não é idólatra, herege e quem está ou não condenado.

    Curtir

  4. boa noite!leiam por favor joao 1.1-3;1joao 1.1-2;1joao 5.7;por estes verciculos se comprovam absolutamente que jesus cristo e a palavra de deus,nao podemos descaracterizar ou transferir este atributo de cristo a um objeto.visto que a biblia foi criaçao humana e foi feita no concilio de niceia, nao estou bem certo da data nao sei se 400 ou 700 anos apos cristo, mas os sacerdotes catolicos agrupando as escrituras colocando a capa colocaram:biblia sagrada contendo o velho e novo testamento.entao a biblia é um objeto feito pelas maos do homem para facil manuzeio das escrituras e ponto final.biblia nao foi ,nao é ,e nunca vai ser palavra de deus.ja pensou onde estiver escrito jesus trocar por biblia !seria muito ridiculo e pecado.

    Curtir

  5. boa noite!leiam por favor joao 1.1-3;1joao 1.1-2;1joao 5.7;por estes verciculos se comprovam absolutamente que jesus cristo e a palavra de deus,nao podemos descaracterizar ou transferir este atributo de cristo a um objeto.visto que a biblia foi criaçao humana e foi feita no concilio de niceia, nao estou bem certo da data nao sei se 400 ou 700 anos apos cristo, mas os sacerdotes catolicos agrupando as escrituras colocando a capa colocaram:biblia sagrada contendo o velho e novo testamento.entao a biblia é um objeto feito pelas maos do homem para facil manuzeio das escrituras e ponto final.biblia nao foi ,nao é ,e nunca vai ser palavra de deus.ja pensou onde estiver escrito jesus trocar por biblia !seria muito ridiculo e pecado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s