Livros · Recomendações · Teologia Popular

Desesperados por saber a “secreta vontade de Deus”!

Cara, você está fazendo isso errado!
Por Gutierres Fernandes Siqueira

Você certamente conhece aquele jovem que espera um “sinal de Deus” para achar a “noiva abençoada” que Deus escolheu. Eu até escrevi sobre esses que fazem de Deus um cupido. Você também conhece aquela senhora que antes de viajar procura o “profeta da igreja” para ver se vai ou não no passeio com a família. Há ainda aquele que está buscando uma resposta divina para abrir ou não uma empresa. O que essas pessoas têm em comum? A visão que Deus desenhou um destino secreto que pode ser descoberto por meio de sinais (profecias, arrepios, versículos em caixinhas de promessa, sonhos ou conselhos de pastores). As pessoas querem basear suas atitudes em alguma mensagem do céu.

O grande teólogo anglicano J.I. Packer escreveu sobre essa perigosa mania:

Durante os últimos 150 anos tem-se estabelecido entre os cristãos um modo diferente de se tomar atitudes- um modo que negligencia o significado da reflexão e da sabedoria na busca da vontade de Deus. Passou-se a desejar uma espécie de orientação mais direta e imediata que a formação de um julgamento sábio sobre o assunto em pauta. O que é isto? O desejo parece refletir uma mistura de coisas. […] Uma delas é a mentalidade a curto prazo da cultura secular hodierna, anti-intelectual, orientada por sentimentos, invadindo e inundando as mentes cristãs. […] A outra coisa é uma admirável humildade. Os crentes não confiam em si mesmos para discernir o modo de agir ideal, e quem que este lhes seja diretamente revelado. […] Outra, ainda, é a fantasia de que, uma vez que cada cristão é objeto especial do amor de Deus, instruções especiais de Deus devem ser esperadas sempre que tenham de tomar uma decisão importante- uma fantasia que parece refletir um egoísmo intantil próprio da fé pueril. [1]

O teólogo pentecostal Donald Stamps escreveu contra aqueles que buscam “direção” sobre decisões da vida em dons espirituais:

Note que, em nenhum incidente registrado no Novo Testamento, o dom de profecia foi usado para dirigir pessoas em casos que pudessem ser resolvidos pelos princípios bíblicos. As decisões no tocante à moralidade, compra e venda, ao casamento, ao lar e à família devem ser tomadas mediante a aplicação e obediência ao princípios da Palavra de Deus e não meramente à base de uma “profecia”.[2]

E Donald Gee, também pentecostal, defendeu bem antes a moderação de Stamps:

Existem graves problemas sendo levantados pelo hábito de dar e receber “mensagens” pessoais de orientação por meio dos dons do Espírito […] A Bíblia dá lugar para tal direção vinda do Espírito Santo […] Tudo isso, porém, deve ser mantido na devida proporção. O exame das Escrituras mostrará que, de fato, os primeiros cristãos não recebiam continuamente tais vozes do céu. Na maioria dos casos, eles tomavam suas decisões pelo uso do que normalmente chamamos “sendo comum santificado” e viviam normalmente. Muitos de nossos erros na área dos dons espirituais surgem quando queremos que o extraordinário e o excepcional sejam transformados no frequente e no habitual. Que todos os que desenvolvem desejo excessivo pelas “mensagens” possam aprender com os enormes desastres de gerações passadas e com nossos contemporâneos […] As Sagradas Escrituras é que são a lâmpada nossos passos e a luz que clareia o nosso caminho. [3]

Lembro essas verdades para recomendar o ótimo livro Faça Alguma Coisa: Uma Abordagem Libertadora Sobre a Vontade de Deus em Sua Vida (Editora Mundo Cristão) do jovem teólogo reformado Kevin DeYoung. É o terceiro livro que a Editora Mundo Cristão lança dele e recomendo muitíssimo cada um dos títulos.

É bacana ver que o autor, um convicto calvinista, não adere ao determinismo preguiçoso. Ele lembra uma verdade inconveniente : “Deus não tem um plano específico para nossa vida, algo que ele queria que decifremos antecipadamente” [4]. E também destaca: “A forma como muitos cristãos lidam com a vontade de Deus não é diferente da maneira como uma pessoa qualquer consulta horóscopo” [5].

Portanto, Deus não tem uma pessoa específica para casar comigo no futuro. Deus não tem uma cidade específica para eu morar daqui dez anos. Deus não tem uma roupa específica para eu vestir amanhã cedo. O importante é que cada escolha que eu faça, seja uma esposa ou uma faculdade, que eu faça para a glória dEle. “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”, como disse Paulo em 1 Coríntios 10.31. Mas a escolha é minha. Deus, em sua soberania, nos deu liberdade. Não podemos terceirizar a responsabilidade individual e as nossas escolhas para o colo de Deus.

Portanto, leia Kevin DeYoung e o seu Faça Alguma Coisa.

Referências Bibliográficas:

[1] PACKER, James Innell. O Plano de Deus para Você. 2 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. p 105 e 106.

[2] STAMPS, Donald. Bíblia de Estudo Pentecostal. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1995. p 1679.

[3] GEE, Donald. Spiritual Gifts in The Work of Ministry Today. Springfield: Gospel Publishing House, 1963. p 51.

[4] DeYOUNG, Kevin. Faça Alguma Coisa. 1 ed. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2012. p 70.

[5] DeYOUNG, Kevin. Idem. p 51.

Post-scriptum:

O meu amigo Cristiano Moreira Silva, do blog Nerd Protestante, escreveu uma resenha completa sobre o livro Faça Alguma Coisa. Leia aqui.

Serviço

Sinopse da Editora

Muitos vivem correndo atrás do nada, buscando incessantemente satisfação no trabalho, na família e na prosperidade material. Não que isso seja ruim, mas, no fim das contas, essas coisas não nos satisfazem por completo. E por que não? […] Você já deve ter ouvido falar que Deus tem um plano para a sua vida, o qual já está inteiramente traçado. Parte dessa insatisfação eterna do ser humano se dá por conta do distanciamento entre suas escolhas e esse projeto divino personalizado. […] Saber como tomar decisões acertadas, de modo a não fugir do plano de Deus e alcançar satisfação plena é o que você vai descobrir com Kevin DeYoung nesta obra sobre a vontade de Deus. Aqui você não vai encontrar fórmulas prontas do tipo “faça isso e não faça aquilo”, mas compreenderá de forma simples e libertadora como identificar a vontade de Deus e aplica-la em sua vida. Deixe a indecisão e a dúvida para trás e faça alguma coisa!



Ficha Técnica
ISBN: 978-85-7325-702-1
Páginas: 144
Ano: 2012

5 comentários em “Desesperados por saber a “secreta vontade de Deus”!

  1. Gutierres, estou pesquisando algo sobre profecias dentro da congregação, inclusive sobre a enxurrada de profecias no dia da ceia do senhor, e este ensaio teu caiu de bom tamanho. Deus te abençoe!

    Franciney.

    Curtir

  2. Excelente leitura 🙂

    Gostei da expressão “determinismo preguiçoso” rs.E concordo plenamente que não devemos “terceirizar nossas responsabilidades individuais à Deus”. Entretanto, me lembro de ouvir muitos ensinamentos maravilhosos sobre os propósitos, projetos ou sonhos de Deus para nossa vida. Confesso que penso muito a esse respeito… Como no caso em que Deus escolheu Davi para reinar, ele não determinou quais seriam as escolhas e/ou atitudes de Davi ao longo deste período, mas de certa forma externou um projeto divino na vida de uma pessoa. Fico pensando se poderíamos entender que Deus tem alguns sonhos que são de certa forma específicos e que Ele comunique esses sonhos ao coração dessas pessoas e então elas se apaixonem pelo sonho e passem a sonhar para suas vidas aquilo que Ele primeiro já sonhou. Penso nisso toda vez que sinto meu coração arder com coisas grandiosas, projetos de vida. Não falo de vida profissional, ou vida pessoal (é claro que a gente sonha com todas essas coisas) mas falo de projetos grandiosos com Deus e a humanidade, é como se este sonho fizesse todos os outros aspectos da vida fazerem sentido. E a partir deste sonho todos os outros… Não vejo esse tipo de inquietação em muitas pessoas por isso falo a partir do que eu particularmente sinto. Seria esta uma forma em que Deus comunicaria seus propósitos, digamos, “específico” ou você acha que mesmo neste caso seria acreditar em determinismo?!
    Um abraço.
    Jane

    Curtir

  3. Mano, um ponto certeiro do seu artigo é sobre a questão do uso da profecia e principalmente nesse negócio de buscar a vontade secreta como se fosse um horóscopo de Deus e negligenciar os princípios bíblicos, Excelente!Achei também bem interessante a proposta do livro do De'Young

    . Creio que o plano de Deus para a nossa vida é nos levar a salvação plena , onde tudo o que acontece irá contribuir para esse bem ((Rm 8:28). Como já disse anteriormente, a Bíblia é repleta de mensagens alertando o perigo de escolher uma esposa briguenta e sem “discrição”, que não tem o temor do Senhor e não é valorosa. Todavia, isso de forma alguma escapa da Soberania de Deus, pois até nossas escolhas estão dentro de Seu plano, ou seja, isso não ocorre à parte da vontade de Deus (ainda que permissiva). Como o servo de Abraão, creio que devemos orar, pois “Do Senhor vem a mulher prudente”(Pv 19:4), assim também como procurar, pois “quem acha uma esposa acha uma coisa boa e alcançou a benevolência do Senhor”(18:22). Tomando muito cuidado também para não querer morar em cima da casa por causa de uma mulher briguenta (Pv 21:9); Cuidado mano! hehe.

    Forte abraço!

    Curtir

  4. Estive pensando muito a este respeito nas ultimas semanas. Na maioria das vezes isso gera ansiedade e angustia, coisas totalmente contrárias ao que Deus quer para nós.
    Creio que um cristão que dedica parte de seu tempo a leitura da Bíblia (buscando a sabedoria) e a oração, vai ser capaz de avaliar tudo a sua volta sob a ótica do “qual a vontade de Deus para minha vida”. Não é necessário viver buscando uma profecia específica ou angustiado com o que pode acontecer no futuro.
    Acredito sinceramente que faz parte da vontade de Deus que vivamos em paz com o hoje tmbm, e digo tudo isto, porque vejo muita gente extremamente angustiada dentro das igrejas com essa de – O que Deus tem para minha vida.
    Até mesmo aqueles que tem um chamado específico devem viver o hoje em paz, orando e lendo a Bíblia, pois no momento certo Deus encaminhará as coisas.

    Mas confesso, não é fácil viver assim.

    Izabel

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s