Dons Espirituais · Dons Revelacionais · Profecia

Eu posso julgar uma profecia?

Os lábios de Isaías tocados pelo fogo,
por 
Benjamin West

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Em Março de 2007,  eu preguei sobre o “amor como regulador dos dons espirituais” baseado em 1 Coríntios 13. Naquele culto havia um rapaz que ouviu toda a minha pregação com bastante atenção, mas ele estava claramente nervoso. Quando eu acabei de falar, o jovem levantou do banco da “mocidade” e foi até o púlpito onde “profetizou” a minha brevíssima morte e deu uma sentença: eu iria morar no inferno por pregar heresias!

Em nenhum momento, graças ao bom Deus, deixe-me levar pela falsa profecia. No dia seguinte, o pastor local pediu ao jovem profeta que citasse nas Escrituras as minhas “heresias”. Ele limitou-se a dizer: “Pergunte para Jesus”. Infelizmente, aquele jovem não se retratou e continuou a “profetizar” outras mortes até sair daquela congregação.

Hoje, quando lembro desse fato, sinto pena desse rapaz, assim como de inúmeras pessoas que acreditam em falsas profecias.

Voltando ao título e respondendo a questão levantada. Posso julgar uma profecia? Não somente pode, mas deve! Não nos esqueçamos que é uma obrigação cristã analisar todas as profecias. O apóstolo Paulo escreveu: “E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.” [1 Coríntios 14.29]. O apóstolo João fala que devemos “provar os espíritos”: “Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. [1 João 4:1]. Em apenas dois textos vemos claramente um mandamento.

Nós, também, não podemos desprezar as profecias, mas isso não impede de examinarmos aquilo que ouvimos. Paulo ainda diz: “Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem” [1 Tessalonicenses 5.19-21]. Veja que mesmo quando Paulo alerta sobre o “não desprezar”, ele nos lembra sobre a necessidade de examinar. Ou seja, uma prática não extingue a outra. Portanto, receba toda profecia com respeito, mas nunca deixe de analisá-la e, também, despreze a falsa profecia.

Muitas vezes, erroneamente, se coloca na cabeça do povo que é errado analisar (provar, julgar etc.) uma profecia. O erro é justamente deixar de fazer tal análise. E qual o critério para verificar uma profecia? A Palavra de Deus! Diante de uma profecia (ou qualquer outra palavra dita em nome de Deus) sempre devemos perguntar: Isso condiz com as Sagradas Escrituras?

O critério, repito, é a Palavra de Deus. Veja que não é um “sentir” ou um “arrepio” e nem qualquer outra manifestação do sistema sensorial. Além disso, não é porque você “vai com a cara” do profeta que a profecia seja de Deus (e o contrário, também, é verdadeiro).

Vejamos algumas profecias claramente antibíblicas:

a) Profecias de casamento. Ora, profecia não é horóscopo e nem serve para determinar decisões que devem ser tomadas pelo critério da sabedoria e discernimento. O mesmo serve para outras decisões (abertura de um negócio, por exemplo) que são terceirizadas para profetas.

b) Profecias de morte. O apóstolo Paulo mostra que a profecia tem um triplo objetivo: “Mas quem profetiza o faz para a edificação, encorajamento e consolação dos homens.” [1 Coríntios 14.3 NVI]. Onde que uma profecia de morte “edifica, encoraja ou consola” um ouvinte?

c) Profecias de vontade própria. O pregador que manda a igreja profetizar certamente nunca entendeu a natureza da profecia. Ora, a profecia não é fruto de vontade própria. A profecia deve ser pronunciada quando recebida, mas nunca sob coerção ou incentivo. Quem manda a profecia é Deus e não a minha ou a sua vontade. Além disso, é um completo absurdo marcar hora para profecias em cultos temáticos ou programas midiáticos.

d) Profecias com meias verdades. Essas são as mais perigosas. Já diz o provérbio chinês que toda “meia verdade é sempre uma mentira inteira”. Muitas vezes Deus até deu a profecia para uma pessoa, mas em sua empolgação, o portador do dom acaba exagerando na mensagem a ser transmitida [cf. I Crônicas 7. 1-4] . É bom lembrar que Deus impulsiona a mensagem, mas não cada palavra a ser dita. Leia 2 Samuel 12 e veja, por exemplo, que o profeta Natã usa uma parábola para complementar a mensagem da profecia. A profecia não é uma espécie de psicografia.

Sejamos, portanto, cautelosos com a profecia, pois uma falsa palavra transmitida sempre causa inúmeros prejuízos para a igreja local.



LEIA MAIS:

Profecia de Morte? [Leia aqui]

23 comentários em “Eu posso julgar uma profecia?

  1. Caro Gutierres:

    Percebe-se em nosso meio, por diversos motivos, certa divinização dos profetas. Ou seja, quem é usado nesse dom, é celebrado, mitificado e consultado, da mesma forma que é feito nas religiões pagãs. Por falta de conhecimento bíblico, essas práticas se perpetuam em determinadas igrejas provocando muitos prejuízos para os crentes em Cristo.

    Abraço!

    Curtir

  2. Profecia de morte? Eu, hein?rsrs.

    Me lembro que já ouvi inúmeras mensagens Cristocêntricas, muito bem interpretadas, quando de repente o pregador diz: Profetiza pro seu irmão aí! É uma facada no peito.
    Não suporto esse tipo de expressão, que Deus nos ajude!

    Curtir

  3. Na linguagem popular essas falsas profecias são mais conhecidas como “profetadas”. Já levei alguns desses “golpes”, mas graças a Deus tive discernimento.

    Infelizmente a maioria dos evangélicos não enxerga um palmo à frente do nariz e esses vulgos profetas são mitificados, como bem colocou o Mário Sérgio. Isso sem falar no temor das pessoas em tocar no “ungido do Senhor”.

    Parabéns pelo seu trabalho, Gutierres. Sempre trazendo à tona as coisas erradas, na esperança de que sejam vistas e corrigidas.

    Abraço!

    Curtir

  4. Paz do Senhor irmão Gutierrez –
    Boa explicação sobre profecia –
    estou lendo um ótimo livro –
    Assim diz o Senhor? de John Bevere –
    editora Cpad – ele faz uma analise excelente sobre profecias Bíblicas e pessoais –
    Infelizmente hoje no “meio pentecostal” muitos valorizam o “dom da profecia” – e não julgam as mesmas –
    lembro -me uma certa vez , estávamos (eu/esposa) na casa de meu irmão, fazendo uma campanha de oração, e uma irmãzinha começou “profetizar” – e disse – eis que no seu ventre está um varão(pois minha esposa estava gravida) – assim diz o senhor-
    e ficamos contentes é claro, pois, já tínhamos uma menina – e o próximo filho seria um varão segundo a “profecia”-
    no primeiro ultrassom – adivinha?
    outra menina –
    ainda bem que não “criamos” muitas expectativas em cima da “profecia”- senão ficaríamos provavelmente frustados .
    por isso é Bom examinar tudo

    Curtir

  5. Aqui até que não eu nãso tenho visto muito essa questão das profetas, mas esse tal de “diga pra o seu irmão: Deus me mandou te dizer…” Rapaz… Tá bronca, viu?
    O que falta, na realidade, é conhecimento da palavra. Essa sim tá difícil…

    Obrigado pelo seu texto!

    Curtir

  6. Caro irmão Gutierres,

    Quanto à profecia sobre casamento, que eu concordo com tudo o que você disse, como eu harmonizo esse tema com a escolha de Rebeca como mulher de Isaque pelo empregado de Abraão?

    Porque, pelo texto, a escolha de uma mulher para Isaque foi ato de Deus mesmo, como as profecias casamenteiras tentam mostrar.

    Um abraço,

    Gilmar

    Curtir

  7. O seu post tá ótimo. Um caso desses aconteceu comigo nesse fim de ano: uma irmã profetizou pra minha mãe uma vitória qua aconteceria aínda em 2012. Ficamos mui felizes, mas o tempo foi passando e nada. Então perguntei a Deus: cadê a promessa ? Deus por ser fiel, usando um irmão (não diretamente a mim, mas pra congregação inteira) deu a resposta: a pessoa que profetizou, profetizou além do que Deus mandou e que Deus não dá datas ou prazos pra cumprir a profecia, Ele chega no momento certo.

    Pedro Paulo Santos, ippd

    Curtir

  8. Amado, de fato há muitas heresias e vejo com amor tua preocupação, mas há profecia sim sobre morte. E edificam. Estando alguém em pecados não arrependidos, não poderia vir este a morrer, mas por misericórdia o Senhor alertá-lo ao arrependimento? Assim foi com o rei Ezequias avisado por Elias (2Rs 20:1). Edificado foi, pois arrependera de seus feitos. (exortado, consolado e edificado).Também em Is 22:15 , o profeta anuncia a morte de Sebna por seus atos ruins entregando o governo a Eliaquim, assim como perece Pasur por profecia de Jeremias Jr 20:1-6.Era o AT. Deus é o mesmo hoje.Eu pessoalmente vivi algo assim e sou temente a Deus, estudioso profundo da teologia, mas não limitemos a grandeza e o agir de Deus. Abraços.

    Curtir

  9. Caro Valverde ,a paz do Senhor Jesus A T abaixo da lei de Deus ,N T vivendo pela graça e misericórdia .Hoje nós temos algo chamado livre arbítrio podemos fazer o que quisermos ,quando quisermos e aonde quisermos e liberdade que os homens de Deus não tinham ,acaso andarão dois juntos se não estiverem em acordo (Amós 3:3 )infelismente as pessoas querem benção seja em qualquer sentido para satisfação própria não pára fazer a vontade de Deus esse versículo citado para mim é base para um casamento porque o que começa errado termina errado (Galatas 6:7 tudo que o homem planta ele colherá ) por isso muitos casamentos destruídos e com pouca duração estão casando com a aparência não com o caráter .Espero que possa ter lhe ajudado .graça e paz

    Curtir

  10. Boa noite. Recebi uma profecia, de que Deus iria restaurar me casamento e colocar tudo que estava fora em seu lugar, nessa ocasião, eu estava grávida, e meu marido tinha saído de casa pra ficar com uma amante que eu não sabia, mas ela já à tinha um ano. Minha filha nasceu, ele voltou e saiu de casa umas 7 vezes, e a Pastora entregou mais umas três vezes que meu casamento iria ser restaurado. Por fim, eu peguei ele várias vezes com a amante, até que teve uma filha com ela, em setembro passado ele retornou mais uma vez pra casa, e à quinze dias atrás, eu descobri que ele estava com a amante ainda, e não se separaram, ele me agrediu e tentou me matar, agora fui embora de casa e estamos no processo de divórcio. Essa profecia assola minha mente dia e noite, por que as pessoas que ouviram ainda acham que eu estou desobedecendo à Deus, por que saí da minha posição.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s