Igreja Evangélica Brasileira · Jovens · Teologia

Eu não sou o próximo Lutero!

Esse cara não sou eu!

Por Gutierres Fernandes Siqueira

A história de Lutero é inspiradora. Ainda no início de minha fé tive a oportunidade de ler um livro sobre a história do cristianismo e a vida de Lutero era um dos destaques. Com o tempo tive um envolvimento com a atividade apologética e, na ânsia de consertar o mundo, pensava que seria um reformador como Lutero. Mas, graças a Deus, eu cresci e acordei do instinto revolucionário.

01. Não, eu não serei o próximo reformador do cristianismo. Nem eu e nem você, meu caro leitor. A nossa contribuição é pequena, local e limitada no tempo. Ora, pode ser grande, global e ilimitada? Sim, todavia, o primeiro cenário talvez seja o mais provável.

02. Lutero queria ser ouvido pela hierarquia romana, mas não tinha a intenção de acabar com a Igreja Católica. Ele, na verdade, foi expulso. Lutero sabia apontar o erro sem jogar fora todo o bebê com a água suja (perdoem-me pelo clichê). É certo apontar os problemas da Igreja Evangélica, mas será que muitas vezes não estamos viciados na crítica em si? Será que há somente problemas na Igreja Evangélica? Será que não cometemos o mesmo erro natural da velhice ao ver o passado com um idealismo irreal? Será que somos profetas com a síndrome de Elias, pois achamos que somos as únicas vozes de Deus na terra? A Igreja está doente? Sim, talvez, mas não está morta.

03. A juventude é ótima, mas normalmente imprudente. Você já observou como o seu avô é mais paciente do que o seu pai? E já observou que o seu pai relata que essa paciência não condiz com o passado do seu avô? Ora, o homem é naturalmente mais tolerante e paciente com o passar do tempo. Não é à toa que os avós sejam tão divertidos para os netos. Nós, os jovens, somos normalmente mais intolerantes e revolucionários. E não há revolução sem violência. A natureza da juventude é a velocidade, a violência, a aventura, o perigo, ou seja, “velozes e furiosos”. O jovem sempre acredita ser um agente do progresso, mas, por vezes, perpetua erros do passado pela sua imprudência.

04. É possível ser jovem e contribuir com a história. Você sabia que João Calvino escreveu uma das obras mais importantes do Ocidente cristão com apenas 26 anos? E, também, o pastor João Ferreira de Almeida começou a traduzir a Bíblia para o português com apenas 16 anos. Há inúmeros outros exemplos. Sim, é possível contribuir significamente com pouca idade. É possível ser maduro ainda jovem. E faz parte da maturidade atribuir menor importância para a nossa própria obra. Faz parte do crescimento espiritual enxergar as nossas limitações.

Eu não serei o próximo Lutero, mas sou apenas um blogueiro. “Entretanto, cada um continue vivendo na condição que o Senhor lhe designou e de acordo com o chamado de Deus. Esta é a minha ordem para todas as igrejas” [1 Coríntios 7.17].

6 comentários em “Eu não sou o próximo Lutero!

  1. Um texto fantástico.

    Devemos perseverar na fé, crendo que podemos contribuir de alguma forma, porém jamais sendo arrogantes, até o fim sempre haverá muuito a aprender sobre o reino de Deus.

    A expressão que usou quando falou de Elias, é uma que costumo usar, ha mais, muitos mais, lá fora tentando se manter firmes as verdades do evangelho, é imaturo pensar o contrário.

    Curtir

  2. Ser um próximo Martinho Lutero seria no mínimo uma experiência, eu diria que, atormentada. Não queiram ser um Lutero, pois que uma combinação explosiva de instituições decadentes como a família de Lutero e a Igreja Romana no século XVI, além de certos defeitos de fabricação serão necessários, senão o apego à graça divina – item indispensável à Reforma (do século XVI e de todos os séculos vindouros) – ficará sempre mitigada.

    Mas eu acho que você, irmão Gutierres, está mais é para um ponderado Erasmo de Roterdã do que para um meio que desvairado Lutero.

    Sola gratia!

    Ecclesia reformata et semper reformanda est!

    JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

    Curtir

  3. belo texto, eu mesmo ja tive minha “fase lutero”onde tentei fazer o papel de DEUS,mas hoje vejo que devemos permanecer firmes nas escrituras sabendo que o nosso DEUS é soberano.

    Curtir

  4. O detalhe relevante é que justamente os evangélicos que deveriam ter um conhecimento profundo de Lutero e seguir os seus ensinamentos, são exatamente os que lhe viraram as costas voltando-se para as praticas do antigo cristianismo católico romano, são os que menos conhecem os fundamentos e os motivos da Reforma, e os que mais se distanciam da sã doutrina. Se a igreja evangélica atual conhecesse pelo menos um terço da historia cristã não estaria hoje seguindo Hagin e sua interpretação Bíblica. Não estaria condenando a idolatria e as práticas católicas romanas, mas, ao mesmo tempo seguindo a uma teologia pelagiana e tomasiniana, e, por fim,não estaria sendo escrava de tantos falsos profetas.
    Por favor abram os olhos, busquem conhecer a verdade sobre as pessoas e sobre a história, busquem fazer melhor uso do cérebro que Deus lhes deu, não se deixem envolver por ensinos sem base bíblica sólida. Assinem boas revistas, estudem a Bíblia com auxílio de bons livros de bons autores, examinem tudo antes de aceitar alguma coisa e, acima de tudo: não condenem sem provas concretas.
    Abraços. Com amor fraterno.
    Fabio, cristaodebereia.blogspot.com

    Curtir

  5. A Igreja teve e ainda tem seus erros, afinal ela é santa porque vem da vontade de Deus e pecadora porque somos nós o seu corpo. Embora fazendo parte da Igreja Universal Lutero que a amava como muito poucos, infelizmente abandonou a oportunidade de fazer algo muito maior, ou seja: ficar e lutar pela mudança. Ele não foi expulso da igreja ele apenas não comungava com algumas atitudes, daí a excomunhão que foi sua opção. O sensato por acaso não seria continuar e lutar pelo que acreditamos? Por acaso, o correto seria um dos membros abandonar a família por causa dos problemas em casa? Se não concordo com o erro tenho que combater e não abandonar e deixar que as coisas fiquem piores porque assim é fuga. Lutero foi muito mal interpretado e ainda o é por seus seguidores pois como eu disse foi um dos membros que mais amou a Igreja Católica, principalmente por sua devoção e carinho a Maria a qual ele venerava de uma forma maravilhosa. Fundar uma igreja a partir da vontade humana só poderia dar no que deu: milhares de seguimentos uns querendo ser mais que os outros e vários dizendo bobagens e um monte de abobrinhas para tomar o dinheiro dos pobres e de alguns ricos que com a promessa de obter em dobro vão deixando os pastores cada vez mais ricos, conforme mencionado na publicação referente ao “edir macedo”. Infelizmente, com que Lutero não concordava e pelo que ele se excomungou, os seus seguidores fizeram totalmente o contrário, porque o que temos hoje é uma horda com a finalidade de destruir uns aos outros para tomar o 1º lugar no pódium. Esqueceram que Deus deve estar acima de tudo e Cristo é o centro.
    MRSR

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s