Cessacionismo · Teologia Pentecostal

O fogo estranho de John MacArthur

A macarthurlândia é estranha: nesse mundo próprio
o cristianismo é apenas como a Grace Community Church
A conferência Strange Fire (“Fogo Estranho”, em tradução livre) aconteceu nessa última semana e foi promovida pelo pastor batista John Fullerton MacArthur Jr. em sua igreja Grace Community Church na Califórnia, EUA. Foi um evento de cessacionistas para cessacionistas, ou seja, uma verdadeira militância contra o continuísmo como doutrina. A Strange Fire defendeu apaixonadamente que Deus edificava a sua Igreja com dons apenas no primeiro século da Era Cristã. O evento em si é tão bizarro que me uni ao meu amigo Victor Leonardo Barbosa, editor do Blog Geração que Lamba, para uma análise do evento. Veja o texto abaixo. 

Por que John MacArthur é tão intolerante com a doutrina pentecostal/carismática e menos combativo em outras questões secundárias?

Por Victor Leonardo Barbosa

A conferência Strange Fire é uma amostra do cessacionismo clássico apimentado de militância. É notável o talento de MacArthur para exposição bíblica; e em muitas áreas têm edificado a igreja. Todavia, em sua crítica à teologia pentecostal/carismática, MacArthur é tudo, menos um expositor. É evidente que sua exegese em textos bíblicos é submissa a um sistema teológico repleto de inferências descabidas e extrabíblicas.

Ao que tudo indica, MacArthur demonstra séria ignorância sobre a Teologia Pentecostal. Ele aparenta desconhecer as obras de Stanley Horton, Myer Perlman, Rick Nañez, Roger Stronstad  e tantos outros[1]. A bem da verdade, pode-se dizer que tal conferência é uma afronta a genuínos irmãos na fé, não somente da ala pentecostal, mas da própria ala continuacionista da teologia reformada como John Piper e Wayne Grudem. 

Pode-se perguntar novamente, o que eles quis dizer acerca de ser um “pentecostal fiel”? Talvez uma frase dita por ele em tal convite revele sua intenção: ” Vocês precisam decidir em que lado estão”. Tal frase não é ambígua. Para MacArthur, a única solução para os pentecostais é serem cessacionistas, revelando assim uma típica atitude demonstrada em muitos círculos teológicos: os pentecostais nada mais são do que mendigos espirituais e que precisam ser nutridos com uma boa teologia ortodoxa (e é claro, cessacionista), afinal, nunca terão nada a ensinar,  ou mesmo a contribuir. É a típica prepotência espiritual. 

Ele quer acabar com as línguas. Por que não acabar com o batismo infantil igualmente? Ou combate o amilenismo mais diretamente (sendo ele mesmo um dispensacionalista). Por que tal atitude beligerante para com o pentecostalismo enquanto que outras doutrinas são colocadas por ele como “secundárias” para a boa comunhão cristã? John MacArthur em termos de pentecostalismo não sabe discernir a mão direita da esquerda e acaba caindo na crítica comum e superficial de equiparar o pentecostalismo midiático com o clássico. Tal atitude é no mínimo desonesta e destituída de uma ética cristã.

No contexto brasileiro, pode-se afirmar com certeza que conferências tradicionais como Fiel e outras, só são possíveis porque o pentecostalismo abriu caminho para elas há muito atrás. Mesmo os muitos inconformados com o excesso do neopentecostalismo  adentrando nas congregações pentecostais clássicas- e se converteram em um contexto pentecostal. Afinal, com me disse um pastor pentecostal com teologia reformada: “Quando evangelizo, não encontro presbiterianos ou batistas, mas sim Testemunhas de Jeová, Adventistas e Mórmons concorrendo”, posso acrescentar: nesse combate, os pentecostais têm pouquíssimo apoio de outros, lutam sozinhos, mas ainda assim, vencem pela graça de Deus.

O perigoso isolacionismo teológico. Porque MacArthur precisa aprender a enxergar a realidade e sair do seu próprio mundo.

Por Gutierres Fernandes Siqueira

O isolacionismo teológico é um perigo. E essa é a essência da conferência Strange Fire. Não há nenhum problema em defender posições doutrinárias próprias, mas ao fechar o debate em si mesmo e ao falar somente aos pares, os conferencistas antipentecostais perdem o senso de realidade. É um mundo próprio, a macarthurlândia. Assim, a caracterização e adjetivação do adversário é natural. Não é à toa que o pentecostalismo seja jogado na mesma lata que o neopentecostalismo. Falam na frente do espelho[2].

John MacArthur Jr., para quem o falar em línguas é um delírio psiquiátrico (na melhor hipótese), um linguajar aprendido ou uma manifestação demoníaca- em uma hipótese não descartável- chegou a convidar os “pentecostais fiéis” para a conferência.  Em um raro gesto de “tolerância” MacArthur ainda respirava arrogância. No convite deixava claro que os pentecostais “fiéis” são uma minoria calada e não muito preocupada em criticar os desvios internos.  Era um elogio crítico ou uma crítica elogiosa? Bom, eu mesmo nada entendi. Pena que alguns pentecostais caíram nesse conto. 

A conferência em si é o velho e recalcado cessacionismo, como dito pelo Victor Leonardo acima. O grande problema do cessacionismo é a desonestidade intelectual. Não conheci até hoje um cessacionista que conheça a teologia pentecostal no básico. Assim, o cessacionista diz que o pentecostalismo defende posição X e depois rebate com a posição Y. Só que a suposta posição X não é nem de longe um consenso ou uniformidade. Ou ainda toma opiniões de leigos como representação do pentecostalismo. 

Se você quer pesquisar sobre o calvinismo recorrerá às Institutas da Religião Cristã ou tomará como representação a opinião do primeiro sujeito bizarro que se autoproclama calvinista? Se você quer saber mais sobre a teologia católica logo busca o Catecismo da Igreja Católica Apostólica Romana ou pega uma entrevista desses padres cantores? Por que ouvir o Benny Hinn como representante do pentecostalismo quando poderia ler Stanley Horton [3]? Na obra O Caos Carismático aconteceu algo incrível e inacreditável. Assim como nessa conferência estranha. Não há uma única menção ao livro The Charismatic Theology of St. Luke. Por que escrevo isso? Ora, a obra de Roger Stronstad é a principal defesa hermenêutica da doutrina pentecostal produzida nos últimos 30 anos. O livro foi amplamente debatido nos círculos acadêmicos evangélicos. Como não dialogar com essa obra para fazer uma crítica séria e respaldada à doutrina pentecostal? Ora, você respeitaria alguma obra que se propusesse a criticar o Teísmo Aberto sem rebater argumentos do livro The Openness of God: A Biblical Challenge to the Traditional Understanding of God editado pelos maiores expoentes dessa corrente como Clark H. Pinnock e John Sanders? Ou ainda, como aceitar com bom um livro contra o calvinismo que esqueça de citar alguma passagem das Institutas?

MacArthur Jr. é uma espécie de Richard Dawkins gospel, ou seja, um crítico combativo, fervoroso, famoso, polêmico, militante, mas totalmente ignorante sobre a doutrina do adversário intelectual. Sim, é um fundamentalista no sentido mais pejorativo possível. Não só como o pentecostalismo, vale dizer. MacArthur poderia aprender com Driscoll, que entrevistado pelo revista Christian Post na porta da conferência disse: “Quando você está falando sobre o Movimento Pentecostal e Carismático- eu não sei as estatísticas-  mas você está falando sobre a maior parte do cristianismo do mundo. Então , eu acho que não há generalizações fáceis, porque você está lidando com pelo menos dezenas de milhões de pessoas e, por isso, se torna muito difícil falar em termos generalizantes sobre um movimento que é tão grande”.

Notas e Referências:

[1]  Cita superficialmente Donald Gee em sua obra O Caos Carismático.

[2] O próprio fato de Mark Driscoll ser impedido de distribuir alguns livros gratuitamente na conferência mostra como esse isolamento é um tanto doentio. Driscoll, com sua ironia típica, disse que queria ser útil no debate sobre o papel do Espírto Santo, mas foi impedido por seguranças da Grace Community Church. Depois de escrever esse parágrafo li uma declaração de Driscoll que bateu bem com essa tese. Driscoll disse à revista Christian Post: “Há um capítulo (no novo livro) sobre o tribalismo dentro do evangelicalismo e em como os cristãos tendem a formar tribos para depois ter argumentos ou debates com outras tribos – muitas vezes falando sobre eles, mas não com eles” [leia a reportagem completa aqui].

[3] Em seu livro MacArthur chega a afirmar que os pentecostais falam em batismo em Cristo para todos os crentes e batismo no Espírito para alguns [MacARTHUR Jr., John F. Os Carismáticos. 5 ed. São José dos Campos: Editora Fiel, 2002. p. 81]. Ora, isso é totalmente falso. Uma mentira grosseira. O pentecostalismo como corpo doutrinário defende que todos os cristãos são batizados pelo Espírito Santo. Antonio Gilberto escreveu: “Este batismo ‘do’ ou ‘pelo’ Espírito é algo tão real, apesar de ser espiritual, que a Bíblia o denomina como ‘batismo’. Em todo batismo, como já afirmamos, há três pontos inerentes: um batizador; um batizando; eum meio em que o candidato é imerso. […] No batismo pelo Espírito Santo, o batizador é o Espírito de Deus (1 Co 12.13); o batizando é o novo convertido; e o elemento em que o recém-convertido é imerso, a Igreja, como corpo místico de Cristo (1 Co 12.27; Ef 1.22,23). Portanto, o Espírito Santo realizada esse batismo espiritual no momento da nossa conversão, inserindo o crente na Igreja (Mt 16.18). Logo, todos os salvos são batizados ‘pelo’ Espírito Santo para pertencerem ao corpo de Cristo- a Igreja, mas nem todos são batizados ‘com’ ou ‘no’ Espírito” [GILBERTO, Antonio. Verdades Pentecostais.  1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p 116-117]. Logo porque, o batismo “no” Espírito Santo é revestimento de poder para a obra evangelizadora.

41 comentários em “O fogo estranho de John MacArthur

  1. hilário … absolutamente hilariante. Eu estava rolando no chão de rir em sua ignorância deste artigo. eles nem nada do significado do evento. se MacArthur eratão contra charasmatics, então por que ele convidar muitos dos pastores apregar em suaigreja? por que ele convidar graça Soveriegn jogar na sua igreja muitas vezes? porque durante esse evento que eles recomendam paraas pessoas andrew Strom, Wayne Grudem, e John Piper?

    também é engraçado, na verdade, sei que MacArthur organiza conferências sobre dispensacionalismo eo batismo do bebê …. mas é claro, os autores deste artigo não tomar o tempo para pesquisar antes de vomitar essas mentiras blantant na internet. Toda essa conferênciaera para alertar as pessoas sobre os ensinamentos das igrejas neocharismatic (que em Inglês é carismático) … as igrejas por Benny Hinn, jesus cultura, IHOP, nova reforma apostólica. mas uma vez que esses autores não ter tempo paraassistir ao evento, é claro que eles não sabem que o evento foi sobre isso.

    Curtir

  2. Meu querido Nick.

    Acho que você realmente não entendeu o que eu escrevi, e acho que pelo jeito que escreve, não parece ser brasileiro, deixe-e explicar uma coisa: o que eu escrevi não foi que Macarthur não se posiciona contra tais doutrinas secundárias(batismo infantil, escatologia), mas sim que ele as classifica como secundárias e não essenciais para a comunhão cristã (R. C. Sproul, um presbiteriano, pregou na Strange Fire). Minha indagação é porque ele não tem a mesa atitude diante do pentecostalismo? porque fazer uma crítica tão superficial (tornando-se ridícula)? Você leu realmente meu texto? leu o texto do Gutierres Siqueira? Leia novamente.

    Curtir

  3. ” Eu vi no fogo estranho que às vezes podemos confundir confiança com arrogância. e não é só nós, mas me porque eu suspeito thsat se a situação se invertesse, eu poderia reagir da mesma maneira. Estou convencido uma das razões para que muitas pessoas reagiram mal ao evento é que MacArthur e os outros oradores têm tanta certeza de que eles acreditam. que falou com confiança sobre seu entendimento do que a Bíblia permite eo que ela proíbe. alguns a reação daqueles que foram ofendidos parece implicar que a certeza é incompatível com humildade. se é isso que eles realmente acreditam, eles sucumbiram ao pensamento perigoso e mundana…….

    fogo estranho foi um evento que visou principalmente o pior do movimento carismático. como eu disse quando eu ofereci uma visão antecipada no livro, é mais sobre Benny Hinn que bob kauflin. enquanto os carismáticos reformados podem ser uma parte valiosa e significativa do Novo Calvinismo, eles representam apenas a menor margem do movimento carismático em geral.”

    Tim Challies

    Curtir

  4. Uma coisa nós pentecostais precisamos admitir: É claro que o neopentecostalismo tem causado males na igrea pentecostal clássica,mas, tentando ser honestos com nós mesmo, se não existisse o neopentecostalismo, a posição do MacArthur e de outros cessacionistas seria a mesma. Este post mostra a desonestidade quanto ao diálogo com o pensamento e posicionamento doutrinário diferente.
    ALEXSANDRO

    Curtir

  5. IGNORÂNCIA. É a única palavra capaz de definir a relação de John MacArthur Jr. com o pentecostalismo. Na conferência “Fogo Estranho” ele chegou a afirmar que os pentecostais não fazem obras sociais (sic)! Essa foi a declaração master de desconhecimento do pentecostalismo. [Gutierres Siqueira]

    Curtir

  6. Prezado Gutierres. Você está enganado em relação ao posicionamento do MacArthur. Vi na conferência de pastores que ele promove todo ano, ondem ele convidou pastores presbiterianos, ele se virar e dizer aos presbiterianos que eles estavam errados quanto ao batismo infantil. Você não precisa concordar com ele e nem espero isto. Mas, você tem que admitir, que o pentecostalismo é um movimento divide igrejas reformadas. Não creio que exista essa de pentecostal calvinista ou calvinista pentecostal. A pneumatologia reformada não é a mesma. Eu digo para meus alunos, com todo respeito. Se você tem convicções pentecostais, vá para uma igreja que ensine esta doutrina. Não semeie fogo estranho na igreja reformada. Isaias Lobão.

    Curtir

  7. Mais duas questões sobre suas postagem. Você afirma que nunca conheceu um cessacionista que conhece a doutrina pentecostal? O que é isto? Bom, eu sou cessacionista, professor de teologia e conheço bem a teologia pentecostal. Ministro em instituições pentecostais há tempos. E respeito o posicionamento deles. Não entro em polêmicas. Mas, já vi várias vezes, que ao ensinar algum aspecto da doutrina pentecostal, seja pneumatologia ou escatologia. O pessoal dizer: “Ah, isto não é verdade. Nunca vi meu pastor pregar sobre isto.” Aconteceu na semana passada, quando falei da construção do terceiro templo no milênio e a restauração dos sacrifícios. Nenhum pentecostal da sala admitiu isto. Tive que mostrar em livros da CPAD o tem. Mas, ainda sim, teve gente que duvidou. Isaias Lobao.

    Curtir

  8. Passo a palavra para Vincent Cheung:

    “Sem dúvida, eu não esperava que MacArthur se embaraçasse com a verdade. Sabendo que ele é um cessacionista extremo, esperava uma menção desse item antes de rejeitá-lo, mas nada foi dito. Ele nem mesmo o mencionou. Mas eu pensei que deveríamos retornar ao padrão no Livro de Atos. Qual Livro de Atos ele estava lendo? Esse é o campeão da pregação expositiva que tantos cristãos adoram? Mas eu pensei que a pregação expositiva compeliria o pregador a abordar tópicos com os quais ele não se sente confortável, e apresentar o que ele poderia achar difícil de aceitar. O que aconteceu com isso?

    Eu vou lhe dizer qual é o padrão no Livro de Atos – é o padrão de não permitir que a desonestidade e o preconceito obscureçam os ensinos claros da palavra de Deus. Se nos forçássemos a ser caridosos sem justificação, poderíamos dizer que MacArthur evitou a questão para economizar tempo de mencionar algo no qual ele não crê. Mas ele violou, no mínimo superficialmente, seu próprio padrão de pregar a Palavra de Deus como ela está escrita. É muito difícil, se não impossível, excusar alguém de mencionar os milagres quando ele mesmo, com tanto zelo e indignação, repreende a igreja por falhar em seguir o padrão no Livro de Atos.”

    Em resumo: chamou MacArthur de intelectualmente desonesto e preconceituoso. Além, é claro, que não conhecer bulhufas do pentecostalismo.

    Fonte: http://monergismo.com/v1/?p=1075

    Curtir

  9. Admiro a exposição bíblica dele.Porém acho que ele coloca todo mundo no mesmo saco sem fazer as devidas ponderações.Fez isso no seu livro caos carismático. Generalizou as práticas do meio carismático, e , sem ressalvas, incluiu todo mundo no mesmo pacote.Ele parece não saber que existem pentecostais sérios que combatem em seu próprio arraial, os exageros que infelizmente tem entrado nesse movimento. Sou pentecostal e vejo claramente a influencia neopentecostal no meio pentecostal clássico.
    por um lado entendo o Macarthur, pois há exageros absurdos no meio pentecostal. Eu vejo isso frequentemente. Convivo com pentecostáis e percebo a terrível vulnerabilidade. No entanto, Muitos pentecostais mais atentos, estão bebendo da teologia reformada, e isso faz bem, para uma compreensão correta das escrituras. Devo dizer aqui que a influência da teologia reformada no meio pentecostal está cada vez mais crescente. Eu mesmo me considero um penteca- reformado(se é que esse termo pode ser usado rs). Muitos irmãos pentecostais estão lendo calvino, os antigos puritanos, edwards, spurgeon. Alguns pregadores do nosso meio até fazem citações de calvino na hora da pregação( outro dia ouvi umas duas ou três citações de calvino em um mesmo sermão!). E tudo isso em igreja pentecostal de retété e tudo. Aos poucos percebo que o oba oba está diminuindo; as manifestações do espírito que não tem nenhum amparo bíblico estão diminuindo; as pessoas do nosso meio estão mais criticas e criteriosas com relação aos sermões. Muitos dos movimentos espalhafatosos de hoje, como o gideões Camboriú, já é visto como algo perigoso e estranho a verdadeira fé Evangélica.

    Como disse, o macarthur não está de todo errado. entendo q reação dele. entretanto, acho que no afã de suprimir as práticas espúrias de alguns pentecostais, ele acaba se esquecendo do outro lado da moeda, que existem pentecostais e pentecostais, e que nem todos são iguais ao Beny hin.

    ps:Alguém poderia me explicar como o Macarthur pode ser um dispensacionalista? Nisso ele é uma contradição pura! Eu acho que ele nem deve saber que a maioria dos pentecostais são dispensacionalistas rsrsr, se soubesse, que sabe se tornaria um amilenista para glória de Deus rsrs

    Curtir

  10. Sem dúvida, John MacaArthur Jr não é contrário ao Espírito Santo. Sou pentecostal e não me considero ofendido ou atacado em meu crer pelas afirmações de MacArthur. Nem tudo o que foi dito a respeito dele é verdade, porque muitos fatos foram omitidos. Ele foi pintado como um militante anti-pentecostal, coisa que ele não é. Pesando os prós e contras do doutor MacArthur e dos “doutores” carismáticos/pentecostais, a balança pende intensamente para MacArthur. Pentecostais de verdade observam a Bíblia, e já estão cansados seja do intelectualismo anti-bíblico, que lança inovações teológicas reinventando frequentemente a roda, seja de suas bizarras manifestações sem respaldo bíblico. Os capítulos 12 a 14 de 1Coríntios têm sido pisados e cuspidos em nossos cultos diariamente. MacArthur, como muitos outros cristãos bereanos, sejam pentecostais ou não, estão cansados disso! Isso merece, há muito, um basta! O “fogo estranho” não é de MacArthur, é de alguns pseudopentecostias, que acusam MacArthur de ser tendencioso o sendo, oh ironia!

    Curtir

  11. é simples o que macarthur quer é polêmica pois ele vai lançar um livro com esse titulo “strange fire”, respeito muito ele tenho seus livros, a Biblia comentada por ele, li o Evangelo segundo Jesus cristo e o evangelho segundo os apostolos, a minha inclinação é em aceitar alguns aspectos da “salvação pelo senhorio”, mas isso não está em pauta, na real tudo isso a conferencia os comentarios e etc… são a cortina de fumaça pro lançamento de seu livro, ou seja, crio uma polemica antes do livro ser lançado, quando for lançado todos vão querer ler desde o pentecostal pra ver quais acusações ele escreve e os reformados cessacionistas pra analisar os fundamentos de suas crenças.
    outro aspecto é a miopia de alguns desses cessacionistas, respeito a visão de cada um deles, não digo que irão pro inferno, apesar de que muitos deles repetiam em coro a citação de salvo engano R A Torrey ” o pentecostalismo é o ultimo vomito de satã” o mundo mudou e as Igrejas pentecostais classicas e sérias que são as que mantém os cinco solas e etc… como regar de fé e pratica, estão na vanguarda do evangelismo, da pregação, mas ainda estão muito infectadas em alguns aspectos com o misticismo que permeia nossa cultura, profecias escalafobeticas, a pratica de consulta com a irmãzinha fulana, sobre tudo, conheço casais de namorados que vão consultar a “vidente” evangelica pra ver se o namoro vai dar certo, nesse ponto o pentecostalismo deixa muito a desejar, como toda expressão cristã tem erros e acertos, mas nem por isso todos os pentecostais são desequilibrados, não são cristãos, dentre outros argumentos, a generalização nunca é boa, posso eu como pentecostal generalizar, dizendo a igreja luterana e a presbiteriana e as reformadas ordenam homossexuais, promovem casamentos entre pessoas do mesmo sexo e são nitidamente anticristãs, o argumento é forte e exagerado como pudemos perceber, mas se eu digo que a PCUSA, algumas igrejas luteranas, a Presbiteriana da Escócia e algumas reformadas liberais aditem uniões do mesmo sexo o aspecto muda, o que falta na macarthurlandia é um pouquinho mais de pesquisa, de leitura, de analise pois não posso criticar sem conhecer e ainda as praticas que são criticadas pelo macarthur são amplamente criticadas pelas Igrejas pentecostais históricas e sérias,em todo lugar temos excesso ainda mais quando falamos de doutrinas cristãs, a questão é identificar o excesso e criticar especificamente o excesso antibiblico.

    Curtir

  12. Acho que para John MacArthur a questão é muito mais pessoal, do que qualquer outra coisa. É por isso que não perco meu tempo para ouví-lo. Ninguém que é tão extremista quanto ele deve ser digno de atenção.
    O artigos estão muito bons, parabéns!”

    Curtir

  13. Colocar os pentecostais num mesmo saco com o pessoal do reteté e o pessoal neo-pentecostal é um erro tão grosseiro, quanto o de falar que todo reformado é calvinista.
    John MacArthur na busca pela razão(por que não dizer “entretenimento”?) de seu “público” força um barra, ludibriando seus ouvintes a fim que esses o apoiem. Lamentável!

    Curtir

  14. Eu sou cristão,faço parte da uma Igreja pentecostal e na verdade, sinto uma falta de pessoas que sabem ensinar a Palavra,pregam falando demais, para auto-glorificação de si mesmo, fogem do contexto bíblico a qual leu antes da pregação, não ensinam, como Paulo e Jesus,uma ministração rasa, superficial,não tem profundezas, e mesclam mensagens vazias, com tom de vitória e muita língua, para demostrarem que são os “cheios de Deus” e agradar o povo e serem reconhecidos, como o “o fogo puro” é muito blá blá blá, no meio pentecostal.Sei que há um remanescente,entretanto, da vergonha do movimento “pentecostal” é muita soberba, muita histeria, emocionalismo, falsos profetas, falsas visões, falsas revelações. Pessoas gritando, mas do que prega, falando em línguas, sem ordem e sem decência, por que querem aparecer! E não, por que o Espirito Santo lhes concede.Somos os que mais envergonhamos na sociedade, aonde tem mais fofoqueiros e desviados. A maioria sem ética, sem integridade, sem moral, acham que ter o Espirito Santo é falar em línguas, e quando saem da Igreja, mentem, não pagam contas, não são exemplos nos trabalhos, é soberba pura, pois se acham os “super crentes” ” os mais espirituais” é uma vergonha!Sem amor, sem humildade, e venha me dizer que o pentecostal é o maior movimento do Brasil. Movimento de que? Só se for de escândalos… Evangelho é renuncia e ética! Bruno Leonardo

    Curtir

  15. Os cessacionista creem que o Espirito Santo é Deus e sabem que Deus não está limitado, e se Ele quiser usar qualquer um com qualquer dom a hora que bem entender.Cura e ponto final, o problema que eles enxergam é esses movimentos estranhos de homens sem compromisso com a verdade, que sinceramente, é o que mais tem nesse meio! Deus usa eles, de forma diferente dos pentecostais, usam eles com o dom da sabedoria no ensino.O dom que falta em muitos pentecostais. A questão é que eles sentem vergonha, desses movimentos pentecostais, sem fundamentos e falsos. No vídeo a blasfêmia moderna, Jonh Macarthur, condena tais homens e mulheres que vivem no querer aparecer, afirmando que Deus, falou, e outros blá blá sem fundamento biblico. ” EIS que te digo meu servo , hoje o arcanjo gabriel te visitará” essas mongolices e soberbas no meio pentecostal queima a instituição. Eu sou pentecostal,e quando Deus quer usar, Ele usa,e os que tem o dom do discernimento saberão se procede dEle. Paulo instrui buscar o dom do discernimento.

    Curtir

  16. O “Pentecostes” não é uma denominação; refere-se ao dia da festa em que os primitivos cristãos foram cheios do Espírito Santo pela primeira vez. Atos 2.4: ” Ao cumprir-se o dia de pentecostes…Todos ficaram cheios do Espìrito Santo, e passaram a falar em outras línguas…”

    Multidões de cristãos já receberam esta experiência especial, desde do início deste século. Mas porque muitas denominações ortodoxas se opuseram oficialmente ao falar em línguas, as denominações “pentecostais” foram formadas e o triste resultado foi que as pessoas começaram a confundir a experiência de serem cheias do Espirito Santo com a aceitação das doutrinas eclesiásticas “pentecostais”.

    A plenitude do Espirito Santo é um revestimento de poder para TODOS os verdadeiros cristãos – tanto para católicos quanto para protestante, e não estar ligada com o afiliar-se a uma denominação “pentecostal”. É lógico que a palavra 'Pentecostes” nunca deveria ter sido monopolizada como título de uma igreja.

    Se um homem ficar salvo no dia do Natal, ele não alega ter tido uma experiência “natalina”, nem se chama um “natalcostal”.

    Nem tampouco uma pessoa cheia do Espirito Santo {conforme ficaram no dia da festa do “Pentecostes” em Jerusalém}, deve alegar ter tido uma experiência “pentecostal” ou chamar-se um 'pentecostal”

    No início da década de 1900, os líderes dessas novas denominações “pentecostais” determinaram, como uma das exigências para as pessoas se afiliarem á Igreja, a crença de que o falar em outras línguas é a evidência de ter recebido o Espirito Santo.

    Como resultado, muitos cristãos tem tomado por certo que não poderão receber o Espirito Santo – e certamente não poderão falar em outras línguas – a não ser que se tornem membros de uma das ditas igrejas ” das línguas”.

    Ficar cheio do Espirito Santo não pressupõe afiliar-se a uma denominação “das línguas”; é um revestimento de poder que OS CRISTÃOS DE QUALQUER AFILIAÇÃO DENOMINACIONAL PODEM EXPERIMENTAR.

    Curtir

  17. Esta experiência é tão bíblica e autêntica hoje quanto o era nos dias da Bíblia. Não é, conforme disse certo líder cheio de preconceitos, “um estado psicológico induzido e auto-imposto que existe entre grupos pequenos de neuróticos”. Hoje, os clérigos e leigos ortodoxos estão sendo batizados no Espirito Santo segundo a maneira típica deles, quieta e reservada, e sua forma de culto frequentemente continua de acordo com seu padrão litúrgico costumário. O ESPIRITO SANTO NÃO DEPENDE DE DEMOSTRAÇÕES FÍSICAS OU FRENÉTICAS.

    Um ministro ordenado de uma denominação de destaque {que tinha uma reputação devido a sua forte oposição ao falar em outras línguas} explica a sua experiência numa carta aberta a sua denominação, como se segue:

    “Certa noite, enquanto eu orava segundo a minha maneira usual{sem ninguém perto de mim falando uma “palavra mágica” no meu ouvido nem procurando, de algum modo, induzir um estado psicológico} senti o poder de Deus vindo sobre mim de uma maneira diferente. Lembro-me nitidamente que eu orava especificamente a respeito das necessidades de um mundo perdido e da minha própria incapacidade para satisfazer de modo eficaz aquelas necessidades, quando, então a unção do Espirito Santo veio sobre mim”.

    Tamanho amor e alegria começou a ser derramado na minha alma que eu sentia que não caberia mais. Eu amava a Jesus e ao mundo inteiro como nunca antes. Durante meia-hora ou mais, parecia que eu não conseguia falar uma única palavra na minha língua materna, mas, do íntimo do meu ser, comecei a glorificar a Deus em outra língua. Talvez assim tenha sido por que a minha mente natural não sabia expressar meu amor a Cristo, eo Espirito Santo me capacitava a fazê-lo.

    Ora, se isto fosse da parte do diabo, então, o diabo começou a dedicar-se ao amor de Deus, á alegria, e a paz, e ao louvores a Deus. Se fosse algo ” falsificado”, logo, seria perigoso para qualquer pessoa buscar a Deus com a totalidade do seu coração, numa entrega total. Se fosse um “logro”, queria dizer que o Pai realmente da uma “pedra” quando pedimos “pão”. Se aquilo que recebi foi uma “cisterna sem água” de onde vem essa alegria e paz que flui do íntimo do meu ser? Se aquilo que recebi foi apenas “um estado psicológico induzido e auto-imposto”. ora, depois de 10 anos me leva amar a Deus e Sua Palavra , a glorificar a Jesus, a conquistar almas para Cristo, e me capacita a ter uma intimidade na oração que nunca conhecia antes”.

    Uma coisas maravilhosa está acontecendo hoje. Os cristãos estão compreendendo que “Pentecostes” não indica uma denominação. Mas que a experiência de receber a plenitude do Espirito Santo é PARA TODOS OS CRISTÃOS DE TODAS AS DENOMINAÇÕES.

    Qual é a evidência ou prova de que um cristão recebeu a mesma experiência hoje que os seguidores de Cristo receberam em Jerusalém no dia do Pentecostes?

    Jesus disse: ” recebereis PODER, ao descer sobre VÓS o Espirito Santo”, At 1.8

    Poder para vencer o pecado, poder para amar, perdoar, e testemunhar uma vida íntegra no meio de uma sociedade corrupta.

    A “TESTEMUNHA” que produz “EVIDÊNCIAS no tribunal é quem ganha o processo.

    Curtir

  18. Concordo totalmente com o que o Bruno falou. Também sou pentecostal e não me sinto ofendido por MacArthur. Muito pelo contrário, me sinto representado na exortação que ele faz aos pseudopentecostais.

    Um abraço a todos! Fiquem com Deus!

    Curtir

  19. Concordo totalmente com o que o Bruno falou. Também sou pentecostal e não me sinto ofendido por MacArthur. Muito pelo contrário, me sinto representado na exortação que ele faz aos pseudopentecostais.

    Um abraço a todos! Fiquem com Deus!

    Curtir

  20. Amados irmãos,

    1Pe 4:11 Se alguém fala, fale como entregando oráculos de Deus; se alguém ministra, ministre segundo a força que Deus concede; para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, ma quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém.

    1Jn 4:1 Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.

    A questão não é apagar TODO fogo, ou não ter fogo. A questão é discernimento, do que vem REALMENTE de Deus, e o que não vem de Deus.

    A escritura claramente ensina as duas coisas. Há sinais e maravilhas e manifestações da parte do Espirito Santo.
    Porém também há sinais da parte de Satanás:

    Mat 24:24 porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

    Então a questão não Pentecostal, Cessacionista.

    É simplesmente a diferença do que é REAL, VERDADEIRO, de DEUS… do que é FALSO, MENTIRA, SATANAS.

    O papel de definir o que é e o que não é, não é do MacArthur, e sim de cada Cristão. Agradeçamos ao MacArthur pelo ALERTA, e nos voltemos ao Senhor em oração e leitura da sua Palavra, porque as sua ovelhas ouvem a sua voz.

    Jesus é o nosso Senhor

    Curtir

  21. “Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas”.
    Salmos 105:15 … De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Romanos 14:12.

    Quem faz a obra é Deus, pelo poder do Espírito Santo. Se estão usando errado, dará conta este.

    Quando dizemos que somos um corpo em Cristo, assim estamos batendo em nós mesmos falando mal dos outros.

    Pensem nisso!

    Curtir

  22. Se ele disse que algum dom como o de linguas é demoniaco, ele blasfemou contra o Espirito Santo. NÃO TEM PERDÃO, se fez isso está codeenado ao inferno, e não vai voltar atrás, pois se voltar vera que blasfemou contra o Espirito Santo, é mais confortável para ele continuar no cessacionismo.

    Curtir

  23. Caro, autores deste blog , sou pentecostal clássico acredito no continuísmo dos dons espirituais, mas francamente achar que o macarthur e ignorante da bíblia e demais meu querido, não estou aqui defendendo os cessacionistasmas… ate acho que o rev. macathur foi muito duro em suas criticas mas na sua maioria da vezes com muita base bíblica, problema e que ele botou tudo num balaio so; pentecostais clássicos eo neo pentecostais com suas bizarrices.

    Curtir

  24. Não concordar com as doutrinas cridas e pregadas pelo Reverendo Jonh MacArthur, e de extrema individualidade de cada um. Agora por em questão sua capacidade de Exposição da Bíblia, ou chama-lo de panfleteiro… isso sim é extrema ignorância e que não conhece a pregação de Jonh MacAthur …. venhamos e convenhamos os pentecostais na maioria das vezes dão MOTIVOS ( que os pentecostais sabem muito bem ) para ser criticados na só por MacArthur, mas por diversos outros.

    Curtir

  25. “Um dom linguístico sobrenatural” por Fabio Victtor
    O dom de línguas não cessou, digo isto, por conseguir compreender esta parte exegeticamente, entretanto, a minha compreensão fica ainda maior por ter ganhado do Espírito, este dom, que milagrosa e inexplicavelmente também me sobreveio.
    O Espirito Santo concede que falemos (noutras línguas) de acordo com a sua capacitação, seja em idiomas (Atos 2.4) ou misteriosas (1 cor 14.2).
    Os que tentam combater teológica e intelectualmente esta realidade espiritual, combatem embebidos de achismos. Achismos coerentes por sinal, mas no final não passam mesmo de achismos cessacionistas, e por não terem tido esta experiência do dom, que chamam de “Strange Fire” combatem com muita veemência, todavia, não são tão veementes quanto o Espírito que nos deu e repartiu como quis, todos os dons.
    Infelizmente, preciso reconhecer que o problema que o apóstolo Paulo enfrentou em Corinto, é o mesmo problema de banalização e mau uso deste dom ( variedades de línguas) na igreja moderna.
    O dom de línguas (ininteligível) é inferior ao de profetizar, (1 cor 14:5) ou seja, de ministrar pessoas inteligivelmente, pois está escrito: prefiro falar cinco palavras compreensíveis para instruir os outros a falar dez mil palavras em língua. 1 Coríntios 14:19
    A teologia reformada é muito mais forte do que a pentecostal, mas nisto erram teologicamente, pois o dom é real.
    Portanto, meus irmãos, busquem com dedicação o profetizar e não proíbam o falar em línguas.Mas tudo deve ser feito com decência e ordem. 1 Coríntios 14:39,40
    (Fabio Victtor)

    Curtir

  26. Porque do movimento pentecostal, é da onde saem mais heresias perniciosas que ferem verdadeiramente a sã doutrina bíblica, vivem de emocionalismo e um dualismo tremendo,homens como o MacArthur são muito coerentes e bíblicos em defender tais doutrinas absurdas que existem no meio pentecostal.

    Curtir

  27. O pentecostalismo foi feito por homens, tido a ideia por um tal de William e depois fundamentada por Charles Parham em 1900 nos EUA. Aquilo que na rua Azuza aconteceu foi satanismo e não os dons derramados pelo Espírito Santo! E quero fazer uma pergunta: Onde está escrito na Bíblia que o falar novas línguas eram dons?

    John MacArthur está certo, quanto ao cessacionismo e a única doutrina verdadeira é a dos Batistas Fundamentalistas e tradicionais (que conservam a doutrina primitiva).
    Isso que esses pentecostais falam é um monte de blá, blá, blá.

    Curtir

  28. Pentecostais cegos! Eu já vi pentecostais com o mesmo pensamento quanto à sã Doutrina que os Batistas. Mas quem prova que os Batistas estão errados? Quem prova que existem “línguas estranhas” concedidas pelo Espírito Santo? Quem prova que no texto Original, o grego, tenha o termo “estranhas”? Quem prova que o falar novas línguas eram dons? Os tradutores das Bíblias acrescentam palavras e diminuem outras, mas ninguém se importa em estudar o texto original, para desmascarar as mentiras ou falsas interpretações! A doutrina pentecostal não é correta, nem interdenominacional, nem protestante. Todas são seitas e invenções de homens.

    Já disse e vou dizer de novo, por mais que MacArthur seja errado em vários pontos, quanto ao cessacionismo ele está correto. O “kranassúbia” é sempre o mesmo, nunca muda, não passa de uma repetição de palavras. As “línguas estranhas” do pentecostalismo são as mesmas do espiritismo, e quando os tais são possuídos a falarem essas “línguas estranhas” parecem que eles pedem socorro.

    O Espírito Santo não possui ninguém! Se assim procede, como é que está escrito: Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas? I CORÍNTIOS 14.32

    Os judeus pedem Sinal, e os gregos buscam sabedoria. I Cor 1.22, Os sinais eram para os judeus e não para os gentios.

    Curtir

  29. Meu amigo devoto. A tantas heresias no meio pentecostal como o pragmatismo escapismo e nao so isso mas prrconceito pelos irmao que nao são batizado com o Espírito Santo.
    cismas causado pela sede de pode e glória.não somente isso ,o que mais mim intristece é saber que mais de 80%,não crê que são salvos .É Lamentável .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s