Sem categoria

Teologia Romântica [parte 1]: O pecado original e o meio social


Por Gutierres Fernandes Siqueira

Quia peccavi nimis cogitatione verbo, et opere: mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa. Porque pequei muitas vezes, por pensamentos, palavras e obras, por minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa.[Tradicional oração católica de contrição]

O determinismo social da esquerda contemporânea é biblicamente sustentável? É possível postular uma cosmovisão bíblica e ao mesmo tempo defender que determinados tipos de desvios morais são frutos do meio social em que se vive e não das escolhas de cada indivíduo? É possível aceitar o postulado do romantismo político onde o mal moral é apenas um desconforto passageiro gerado pelo mundo burguês? O mal pode ser denunciado e ao mesmo tempo superado porque o mesmo possui um caráter passageiro e efêmero? A utopia romântica é cristã ou é uma junção estranha de determinismo com pelagianismo misturado em um caldo político confuso?


O romantismo de Rousseau e Marx não é compatível com a doutrina do pecado original. O pecado original encontra o homem num mal-estar permanente e insuperável, onde apenas a graça divina na sua manifestação comum ou regeneradorapode salvá-lo de si mesmo. No romantismo de Rousseau e Marx o mal é superável na utopia, na força humana, nas mudanças das estruturas sociais. O Manifesto Comunista não é apenas um tratado anticapitalista, mas uma obra teológica onde o pessimismo antropológico do cristianismo é superado pela revolução social.

Os atuais românticos, inclusive os teológicos, acreditam que a revolução social é redentiva, ou seja, é só mudar o meio para que o homem seja transformado. A culpa salta do indivíduo para o abstrato “sistema”. Vocês lembram-se do capitão (ou coronel) Nascimento no filme Tropa de Elite 2 onde tudo era culpa do sistema? Ao que parece o policial do Bope leu Rousseau entre o primeiro e o segundo longa. Porém, biblicamente falando é possível acreditar que o meio faz o homem? Evidente que não. As tradições judaica (exemplo: Salmo 51) e cristã (exemplo: Romanos 1-5) não permitem dúvidas: o homem é responsável por si. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, diz o apóstolo Paulo, de maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus (cf. 1 Coríntios 11.28; Romanos 14.12).

História de responsabilidade individual. Dos 23 alunos que estudaram em 1975 numa das salas da Escola Municipal Joaquim da Silva Peçanha, na periferia de Duque de Caxias (RJ), um virou bandido: Fernandinho Beira-Mar. O mais famoso dos traficantes brasileiros seguiu um caminho diferente dos demais colegas. Entre os alunos há um frentista, dois professores universitários, um cabeleireiro, um suboficial da aeronáutica, dois mecânicos, etc. Nenhum dos colegas do ex-aluno Beira-Mar, todos igualmente de origem humilde, enveredaram pela criminalidade. “Não é porque você nasce e mora numa comunidade carente que você vai virar bandido. […] Você é o que deseja ser”, declarou ao jornal O GloboIvan Guimarães Chiara, hoje com 49 anos, mecânico de manutenção de aviões da TAM.

Talvez a minha vontade não seja suficiente para alcançar determinado sonho, mas o mal é uma escolha totalmente resistível- mesmo porque estamos sob a égide da graça comum- onde não é necessário que o sistema ou a sociedade mude primeiro. Em primeiro lugar, o cristão reconhece suas limitações e, ao mesmo tempo, assume a culpa que lhe é própria. Isaías antes de lamentar o pecado do povo lamenta o próprio pecado (6.1-6). O profeta messiânico não vivia como um Adão a justificar com o outro o seu próprio erro. 

2 comentários em “Teologia Romântica [parte 1]: O pecado original e o meio social

  1. Acredito que existe um aspecto sociológico, de caráter exclusivamente material, em sentido oposto ao espiritual (que nada tem haver com salvação,redenção), no qual as contingências do meio podem influenciar o individuo. Então, ao separarmos o conceito material/espiritual, teremos sim uma influência social negativa capaz de subverter a condição moral do indivíduo determinada pelas circunstâncias adversas do meio em que vive.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s