Movimento Pentecostal · Pregação

Os pregadores-mirins e a banalização do púlpito

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Há poucas semanas o jornal The New York Times, o mais influente periódico do mundo, dedicou uma longa matéria intitulada The Child Preachers of Brazil sobre um fenômeno crescente neste país: os pregadores-mirins. Confesso que ao ler a matéria tive aquele sentimento estranho e constrangedor de vergonha alheia.  E, sendo pentecostal, a minha vontade era puxar a orelha dos pastores que aceitam tal modismo.

É triste ver pastores, pais e igrejas que permitem e incentivam crianças a exercerem o ministério da Palavra. Normalmente essas crianças repetem chavões de pregadores-estrelas, especialmente daqueles que usam o púlpito como show de auditório. Tais pessoas desprezam todos os ensinamentos das Epístolas Pastorais sobre a seriedade do ministério público de pregação. Estão brincando com algo sério e ainda prejudicando a infância de inúmeras crianças.

Em primeiro lugar, o ministério da Palavra não é espaço para experimentalismos exóticos. Ou seja, o púlpito deve ser levado a sério porque é o espaço da Palavra de Deus. O púlpito não é o Programa do Raul Gilou uma espécie de The Voice. Não é espaço para pregadores de piadas, contadores de histórias ou quem mais não entenda a principal função do pregador: que é expor a Palavra de Deus com compromisso, dedicação, disciplina e boa exegese. Infelizmente, o púlpito hoje é acessado por qualquer pessoa, mesmo aqueles que nada têm a dizer. O espaço da pregação virou uma espécie de Casa-da-Mãe-Joana. Você sairia de sua casa para assistir a aula de um professor universitário de sete anos? Você colocaria uma babá de oito anos para cuidar dos seus filhos recém-nascidos? Você convocaria crianças de seis anos para a guerra? Então, por que com as coisas de Deus a bagunça pode imperar? Como um pregador de seis ou dez anos fará uma boa exegese do texto bíblico? Esse tipo de atividade deve ser preocupação de uma criança?
Alani Santos, 11 anos, orando junto ao Monte das Oliveiras, em São Gonçalo, Rio de Janeiro. Crédito: Sebastián Liste / Noor imagens, por The New York Times.
É impossível ler as Cartas Pastorais e ignorar que o Ministério da Palavra não é para qualquer voluntário, mesmo que seja o mais piedoso do mundo, ainda mais para uma criança, pois é necessário qualificações e vocação. Como um infante pode ser guardião da doutrina? Ou ainda alguém que seja capaz de ensinar, exortar e aconselhar? Como uma criança poderá ter discernimento suficiente para combater falsos ensinos e falsos profetas? Como uma pessoa de tenra idade pode discernir os tempos? Sim, é possível ser maduro jovem, mas não é possível alcançar maturidade nas fases da infância. Como uma criança pode ter ciência da advertência de Tiago: “Meus irmãos, não sejam muitos de vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com maior rigor” [3.1]. Os garotos prodígios na história existem e são raríssimos, mas não na história de Igreja.

E o curandeirismo infantil? A matéria mostra que a algumas pregadoras infantis é atribuído um dom especial para cura divina. Onde está escrito na Palavra que o dom de curar deve ser exercido como um ministério próprio? Essa pergunta serve tanto para crianças quanto para adultos. Não há espaço na Palavra de Deus para que um ministro do Evangelho seja integralmente dedicado à cura divina. O comportamento dessas igrejas é semelhante à crendice em algumas cidades pequenas onde crianças mortas em tragédias são normalmente beatificadas com altares como se fossem santas intercessoras não oficializadas. O nível de superstição é semelhante entre esses grupos religiosos onde apenas a morte separa a insanidade entre o catolicismo popular e o evangelicalismo de massa.  

Ou para resumir: não se trata de censurar a doçura da infância e nem mesmo de desacreditar que Deus pode eventualmente usar uma criança para falar ao coração do crente, mas é necessário cuidado: o púlpito não é show de calouros. O púlpito é um espaço tão sério que qualquer aspirante deveria pensar muitas vezes antes de acessá-lo. É desumano exigir tamanha responsabilidade de uma criança. 

18 comentários em “Os pregadores-mirins e a banalização do púlpito

  1. Concordo plenamente! Esses modismo acabam não somente a seriedade dos púlpitos, mas acabam levando cada vez mais pessoas a acharem que chavões e berros são sinônimos de confirmação da aprovação de Deus. Porém há vagas exceções, por exemplo, em meu curso de Médio em Teologia temo um rapaz de 12 anos que estuda a palavra. Seus pais não são cristãos, ele mora com avos, e desde a tenra idade mostra interesse aptidões para ter um discernimento referente aos ensinos bíblicos. Hoje ele dá discipulado para novos convertidos e prega a palavra, não da forma pentecostal e forjada como vemos, mas do jeito dele, e ele apenas explica o que o texto diz. Por isso não podemos generalizar, pois creio que Deus pode usar adolescentes. Agora de crianças de 6 a 9 anos já é forçar a barra. Abraço!

    Curtir

  2. olha eu discordo de muitas coisas, tenho 18 anos, também sou pentecostal e tenho amigos de 15 anos que ja presenciei algumas pregações que são bençãos, cheios do Espirito Santo de Deus, quem capacita é ele, Deus usa quem ele quer, quem o busca verdadeiramente, quem busca sabedoria e discernimento espiritual, há pessoasadultas já que não querem nada com nada e não atendem à voz de Deus, a obra não para por essas pessoas, Por tanto Deus levanta outros que realmente querem estar ligados à Deu

    Curtir

  3. Paz de Cristo! Concordo plenamente com seu texto, é lamentável que isso aconteça em nossas igrejas. E como Pedagogo que sou por formação, posso dizer que os pais dessas crianças estão “roubando” a infância de seus filhos, ou seja, a criança tem que brincar, aprender e interagir com outras crianças para que ambas desenvolvam o conhecimento de mundo necessário para suas futuras vivências, como diz Ec 3 há um tempo determinado para todas as coisas!!

    Abraços no amor de Cristo.

    Curtir

  4. A paz concordo que os pais não podem ensinar seus filhos chavões p usar nos púlpitos, mas também acredito que o Espírito Santo pode e usa quem ele quer, mas enquanto falam de crianças inocentes pregando a palavra nossos púlpitos estão cheios de homens e mulheres, cheias de pecados e palavrões nas bocas e não fazemos nada , eu prego desde muito cedo e não o fazia pq minha mãe me ensinava , mas pq amava fazer pensem nisso!!!!

    Curtir

  5. É impressionante como o ser humano é egocêntrico.. E ditador, tem que ser assim, tem que ser assado.. Quem somos nós para falarmos o que Deus deve fazer e quem ele deve usar e como.. Muita prepotência.. Deus faz da maneira que ele quer.. A mula quando falou com Balaão não tinha teologia, não usava terno, num tinha idade de um pastor.. Enfim.. Ao invés de apontar ore por essas pessoas que no seu ponto de vista fazem coisas que não são da vontade de Deus.. #ficadica #Deusnãoprecisadejuiz

    Curtir

  6. É impressionante como o ser humano é egocêntrico.. E ditador, tem que ser assim, tem que ser assado.. Quem somos nós para falarmos o que Deus deve fazer e quem ele deve usar e como.. Muita prepotência.. Deus faz da maneira que ele quer.. A mula quando falou com Balaão não tinha teologia, não usava terno, num tinha idade de um pastor.. Enfim.. Ao invés de apontar ore por essas pessoas que no seu ponto de vista fazem coisas que não são da vontade de Deus.. #ficadica #Deusnãoprecisadejuiz

    Curtir

  7. Excelente! Ir. Gutierres já ocorreram casos nos EUA de pregadores mirins que depois de crescidos confessaram que se tratava apenas de imitação para agradar os pais. O caso mais famoso:

    Marjoe Gortner – (Anos 1940-1970)

    – Alcançou fama nos anos 1940, como pregador infantil, mas ele havia apenas sido treinado pelos pais neste sentido, sem ter uma fé pessoal genuína. Ele conseguia operar “milagres” e ganhou altas somas de dinheiro em doações. Após ter sofrido uma crise de consciência, Gortner convidou uma turma de cinegrafistas para acompanhá-lo numa campanha final de pregação. O filme resultante contém uma mistura de cenas mostrando reuniões de reavivamento, com explicações de Gortner sobre como os evangelistas costumam manipular suas audiencias. Em 1972, o filme ganhou a premio da Academia como o melhor documentário; porém, nunca foi exibido nos estados Unidos, pelo receio de que ele pudesse prejudicar as atividades do Cinturão Bíblico.

    fonte: http://solascriptura-tt.org/PessoasNosSeculos/Evangelistas26AmericanosEnvolvidosEscandalos-BiblicalDiscernmentMinistries.htm

    https://en.wikipedia.org/wiki/Marjoe_Gortner

    Curtir

  8. Eu acho que D-US escolheu o rei Josias com 8 anos de idade, porque não havia adultos capazes para fazer a obra de D-US. A sua própria mãe era uma idólatra de Baal. Eu prefiro que D-US levante crianças do que pedras para “pregar” nas igrejas.

    Eu também acho que parece que Jesus disse que o reino dos céus são das crianças, se eu não estou enganado.

    Acho também que eles são mais santos do meu muitos idólatras que andam por aí com capa de ovelha escondendo a pele de lobo.

    Favor de aprovar o meu comentário, a imparcialidade e mostrar diferente opiniões do mesmo assunto faz parte da ética cristã.

    Curtir

  9. PEssoal,sinceramente vcs não tem nada melhor para fazer não? Criticar alguém que está fazendo a vontade do Pai? Primeiramente,antes de tudo,quem deu autoridade a vcs para saber o que é melhor e o que é pior para alguém ?A questão de idade é uma arbitrariedade muito grande.È preconceito.

    Curtir

  10. Acho que alguns aqui não entenderam oque foi exposto neste texto. Realmente Deus usa quem ele quer e como ele quer, porém a palavra de Deus tem que ser bem manuseada, pois muitos acham que a palavra de Deus vai vir de uma forma sobrenatural sobre uma pessoa e ela vai começar a pregar. Confesso que esse pensamento é errôneo, pois temos que crescer na graça e no conhecimento, e crescer no conhecimento é você estudar a palavra de Deus examinando-a a fundo, fazendo uma analise minuciosa do que realmente quer dizer aquilo que foi escrito.
    Agora você acha que uma criança está capacitada para ter um ministério na mais tenra idade? Veja oque o apóstolo Paulo disse na epístola aos Hebreus 5.12-14
    “12- Com efeito, devendo já ser mestres, por causa do tempo decorrido, ainda necessitais de que vos torne a ensinar os princípios elementares dos ensinamentos de Deus; e vos tornastes como necessitados de leite, não de alimento sólido. 13- Ora, todo aquele que ainda se alimenta de leite não está apto a ensinar a palavra da justiça, porque é criança. 14- O alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as faculdades exercitadas para discernir tanto o bem como o mal.”
    Paulo escreve isso aos hebreus, pois eles não estavam preparados para ensinar a palavra, sendo que a palavra de Deus requer dedicação e estudo. O pregador ao pregar a palavra de Deus, tem sim que saber oque se está falando, pois a palavra de Deus tem que ser ouvida e observada usando o intelecto, ou seja, o culto tem que ser racional, e desde quando uma criança terá uma faculdade mental madura para poder passar para os ouvintes um “alimento sólido”?
    Não estou dizendo que criança não pode subir ao púlpito para ler uns versículos ou cantar um hino, mas quero enfatizar que, a criança não tem capacitação para pregar a palavra ainda mais pra pessoas com uma mente bem mais madura do que a dela, pois conhecimento se adquire com estudo, maturidade e com o tempo. Não é atoa que Paulo compara aqueles que não estão aptos com uma criança, pois a criança não saberá ensinar a palavra como se deve ser ensinada justamente pelo motivo de maturidade.
    Quando Jesus estava com os mestres da lei, aos 12 anos, ele ensinava pois ele mesmo é a palavra, ele é Deus, e isso justifica porque ele ensinava.
    Portanto encerro dizendo, Deus ele irá te usar com aquilo que você tem em mãos, as crianças não tem preparação, uma formação para lidar com tal tipo de situação. Se Deus tem um chamado na vida dela no tempo certo isso irá se cumprir, e é claro, ela estará preparada.

    Espero que tenham me entendido… Fiquem na paz

    Curtir

  11. Na minha visão, só eu precisaria analisar a pregação para saber se é algum tipo de imitação ou o próprio Espírito Santo. Agora, o que vejo muito nesse blog, são colunistas se achando juízes, CUIDADO! Deus escolhe os tolos para confundir os sábios, tem muito colunista que está deixando seu intelectualismo e conhecimento acima da palavra de Deus, Deus usa quem ele quer, a hora que ele quer, pode ser analfabeto, pobre, rico, sem aparência, etc. Só uma observação minha…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s