Assembleia de Deus · Calvinismo · Pelagianismo; Calvinismo; Arminianismo

E-mail a um jovem assembleiano que abraçou o calvinismo

Por Gutierres Fernandes Siqueira

calvinismCaro João, a paz do Senhor!

Recentemente você afirmou que “descobriu as doutrinas da graça” e estava muito feliz com isso. Quero deixar claro que eu respeito profundamente a sua escolha e admiro a tradição calvinista, mesmo não sendo um. Nas abordagens culturais, por exemplo, sou consumidor voraz de material calvinista. Sou, também, leitor assíduo de homens como Donald Carson, Timothy Keller, Kevin Vanhoozer, etc. Sou também apaixonado pelas pregações apaixonadas de John Piper. Todavia, estou mais próximo do arminianismo clássico não-wesleyano, até porque sou um típico assembleiano formado nas leituras de Stanley M. Horton e William Menzies – que, não custa enfatizar, eram arminianos clássicos não-wesleyanos. Como você é meu amigo e, também, membro da mesma denominação, deixo alguns conselhos.  

  1. Saiba que você está agora numa denominação oficialmente arminiana. Não sei se você já leu a “Declaração de Fé das Assembleias de Deus”, mas o documento é claramente arminiano clássico, embora não seja intransigente e nem militante. O tom do documento não é uma apologia ao arminianismo, mas está bem distante do calvinismo de cinco pontos. É importante que você, como calvinista, entenda que a sua denominação não é. Você pode argumentar que o seu pastor local nada sabe sobre o assunto e provavelmente isso é verdade, mas entenda que institucionalmente a denominação tem uma posição clara: não é nem semipelagiana e nem calvinista.
  2. Isso quer dizer que você agora precisa sair da Assembleia de Deus? É claro que não. A nossa denominação tolera pensamentos divergentes em seu seio. A Assembleia de Deus não tem a tradição de disciplinar alguém por questões doutrinárias. Embora isso seja ruim em algum nível, também abre a possibilidade virtuosa de não exercer “caça às bruxas”. Há exceções, é claro, e conheço o caso de um jovem que foi disciplinado por abraçar o calvinismo, mas são exceções que confirmam a regra.
  3. Sendo assim, não tenha como missão “calvinizar” a denominação. O seu chamado como cristão é propagar o Evangelho a toda criatura e não incutir na cabeça de todos a sua visão particular de teologia soteriológica. A teologia de uma denominação é uma construção comunitária que, concordemos ou não, reflete uma longa história. Eu, por exemplo, me sinto desconfortável como o forte tom dispensacionalista na escatologia do documento, mas eu não tento desfazer a teologia dispensacionalista da denominação. O que eu preciso fazer é apresentar aos dispensacionalistas especulativos que há uma teologia dispensacionalista mais sólida e responsável.
  4. Evite o sectarismo. Infelizmente, a teologia evangélica brasileira é muito sectarista, especialmente entre os calvinistas. Os calvinistas brasileiros têm a mania de ler, citar e divulgar apenas autores calvinistas. Falo com toda sinceridade: tem calvinista jovem que, para ele, parece existir apenas meia dúzia de teólogos que falam sempre a mesma coisa. Saiba que o cristianismo não é calvinismo, pentecostalismo, wesleyanismo, armianismo, catolicismo, etc. O cristianismo tem todos esses grupos, mas a sua essência está manifestada nos Credos ecumênicos. Continue lendo ótimos autores calvinistas, mas lembre de que você precisa ler outros teólogos fora dessa tradição e, por favor, não seja bitolado.
  5. Quando você fala que “descobriu as doutrinas da graça” parece indicar que nunca se pregou a graça de Deus para você. Sinceramente, duvido muito que isso tenha acontecido. Cuidado com esse entusiasmo ingênuo que parece que você só viu a luz do Senhor após ler um livrinho calvinista. De fato, temos que aplaudir o calvinismo por enfocar tanto a doutrina da salvação, mas daí a dizer que somente com eles é possível saber o que é graça já é um exagero sectário. A salvação não se dá pelo entendimento correto de uma determinada doutrina sistematizada, quem pensa assim está mais próximo do gnosticismo do que do cristianismo.
  6. Leia mais calvinistas inteligentes como o James K. A. Smith e Tim Keller e deixe de um pouco de lado calvinistas intransigentes como John MacArthur Jr. Quem só sabe ler gente de mentalidade estreita como o MacArthur costuma ficar pior do que ele.
  7. Como um bom pentecostal, se ainda assim o for, não deixe de congregar. Não despreze a comunhão dos santos. Não deixe de evangelizar nas ruas e praças. Não deixe de cantar na simplicidade congregacional da Harpa Cristã. Não leia a Bíblia apenas atrás de textos para provar a sua própria teologia, mas leia como antigamente: para ouvir Deus falando. E, também, não deixe de buscar os dons espirituais para a edificação da igreja.
  8. E, por último, se você ainda quer se manter como pentecostal, por favor, leia sobre o pentecostalismo. É impressionante como a maioria dos assembleianos que abraçam o calvinismo viram apenas continuístas, mas já não podem ser considerados pentecostais, pois já não creem nem mesmo na necessidade do Batismo no Espírito Santo. Todo pentecostal é continuísta, mas ser continuísta não faz de você um pentecostal. Leia especialmente Roger Stronstad e Robert Menzies, pois esses autores trabalham a matriz a doutrina assembleiana: que é o entendimento da complementaridade entre a teologia paulina e lucana na ação carismática do Espírito Santo. Agora, se depois de essas leituras você concluir que é apenas continuísta, então eu aconselho a procurar uma denominação mais adequada a sua nova forma de pensar. E isso pode ser feito sem nenhuma crise ou ressentimento.

Em Cristo,

Do seu amigo.

15 comentários em “E-mail a um jovem assembleiano que abraçou o calvinismo

  1. “(…)seu pastor local nada sabe sobre o assunto e provavelmente isso é verdade(…)”. Um dos maiores erros que existe nas Assembléia de Deus. Pegar alguns supostamente chamados que mal entendem de português e já colocam pra pastorear, só porque tem presença de púlpito. Estes agora, estão e continuarão perdidos, pois seus membros estão estudando e descobrindo outras interpretações bíblicas. Essa onda calvinista que tem se levantado nas Assembléia de Deus, no meu ponto de vista, não tem sido por causa de uma “revelação melhor” a cera da Graça, mas por causa da ignorância de muitos pastores assembleianos. Estes jovens que hoje se sentem como se estivessem “redescobrindo o Evangelho”, são assim, porque a fonte de onde eles bebiam era uma fonte fraca ( não digo fonte ruim), e agora eles sabem de coisas que nunca tinham imaginado que existia. E agora, com essa nova confissão que chegou a mais de 100 anos atrasada, não vai consertar todos os absurdos praticados pela denominação, sejam eles de cunho político, religioso ou dogmático. Muito pelo contrário, vai promover uma atitude daqueles que estavam em cima do muro quanto a denominação.
    “mas o documento é claramente arminiano clássico”. Então eu espero que a CPAD, assim como a denominação corrijam alguns erros grotescos nas Obras de Armínio para o português, que no texto original, a forma de batismo é por “aspersão”, mas no português adulteraram para “imersão”, já que se declaram arminianos clássicos. É por esta e outras incongruências que muitos jovens estão se tornando calvinistas e não por uma “nova revelação” como já disse acima. Essa é uma demonstração de que não há coerência entre pregação e ensino, até porque, é bem como o autor do texto disse que os pastores locais nada sabem sobre o assunto. Sem falar da maçonaria, já que resolveram amarrar tudo pra demonstrar organização e seriedade, não falaram nada contra… porque será né…Graça e Paz a todos.

    Curtir

  2. Gutierrez,

    Um dos melhores textos que li sobre essa importante questão. Sou calvinista numa igreja arminiana e pentecostal há décadas. E não me tornei menos pentecostal neste tempo todo. Se não creio que o falar em línguas é evidência física necessária (embora seja comum), não foi por me tornar calvinista. Já cria assim antes. Mas continuei crendo na distinção, separalidade e subsequência do batismo no Espírito Santo da experiência de conversão, e isto por boas razões bíblicas.

    Queira Deus que o espírito expresso no texto, e esperado por parte do calvinista assembleiano, realmente seja o vivenciado nessa grande denominação!

    Curtir

  3. Parabens!!! Otimo post
    Me identifiquei bastante, mais como bom pentecostal fico no meio dos dois pensamentos (arminianismo e calvinismo) acho que os dois são mui uteis para a solida convicção da salvação.

    Curtir

  4. Infelizmente, após o novo documento aprovado, haverá uma caça às bruxas na denominação. Já havia, porém de forma dissimulada. Há teólogos na internet alimentando esse espírito de ‘jihad’ teológica, inclusive um do nordeste que está em missão na europa.

    Sou assembleiano e nunca tive problemas em ser calvinista nas AD’s, mas de uns tempos para cá as hostilidades tem aumentado, se a tendência seguir terei que deixar a denominação.

    Curtir

  5. Certa feita um pregador americano disse: Quando estou pregando sou Arminiano e quando oro sou Calvinista. Escolhe um lado seria dizer que o outro está errado, antes de calvino como os irmãos eram conhecidos? veja que estamos aqui para ser conhecido como cristãos e não como arminianos ou calvinistas.

    Curtir

  6. Muito boa a carta. Aderi ao Calvinismo há exatos 4 anos. Congregava na mesma igreja onde congrego hoje. Uma igreja pentecostal, nos mesmos moldes que a Assembléia de Deus. Se ser pentecostal está caracterizado em acreditar no batismo com espírito santo posteriormente a salvação já recebida, não sou. Fico somente com o continuísmo. Mas achei interessante. Você disse que caso a pessoa tenha aderido o calvinismo mas continue pentecostal, nao tem problema que continue congregando na igreja pentecostal, mas caso seja somente continuísta, acha melhor que saia. Por que ?

    Curtir

  7. A Paz de Deus irmão Guilherme
    Sou da Congregação Cristã no Brasil e estamos atualmente tendo uma onde de crescimento do Calvinismo em nosso meio(principalmente entre os Jovens) que estão aceitano as “doutrinas da graça”

    Infelizmente nossa denominação nunca valorizou o estudo teológico, e hj temos inúmeras igrejas padecendo e o povo sofre por falta de conhecimento
    Muitas profetadas
    Muito materialismo entre nós
    E estamos tendo temps difíceis em nossa denominação

    Mas muitos hj estão estudando as Escrituras e aceitando as Doutrinas Bíblicas que infelizmente os nossos Ministros não nos passaram
    Então com esse avanço do Estudo Bíblico entre nós
    Muitos estão aderindo a Teologia Calvinista
    Já que faz parte da nossa herança primitiva
    Nosso fundador era Presbiteriano Valdense e após se tornar pentecostal
    Teve uma postura de governo rigidamente Congregacional

    Então acredito que muitos hj na CCB estão voltando às origens

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s