Pneumatologia

A Alegria e o Espírito Santo

alegria_criancas1

 

Por Anthony D. Palma

Tradução: Moisés Xavier Guimarães Valentim

Os temas de alegria e regozijo são encontrados em toda a Bíblia. A palavra grega mais comum para alegria (chara) é encontrada em muitos lugares na Septuaginta e no Novo Testamento. Enquanto a própria palavra tem um significado puramente secular, na Escritura é usada mais frequentemente com um significado religioso e, de acordo com uma autoridade, é “fundamentada em um relacionamento consciente com Deus.”

O propósito deste estudo é ver como as Escrituras relacionam este conceito secular de alegria especificamente ao Espírito Santo. Quatro passagens fazem uma associação direta entre o Espírito Santo e a alegria.

A alegria é listada entre o Fruto do Espírito (Gálatas 5.22). Este é o ponto de partida para qualquer discussão sobre o conceito bíblico de alegria. As pessoas não produzem alegria. Em última análise, ninguém pode ordenar que outro se regozije. O Espírito Santo é a fonte da alegria do crente. A “alegria” autogerada pode impressionar o observador como sendo uma “simulação” e não uma expressão genuína da obra do Espírito Santo. A ênfase de Paulo em Gálatas 5 é na caminhada do cristão no Espírito (versículos 16, 25), uma manifestação da qual será o fruto da alegria.

Em Romanos 14.17 nos é dito que aspectos essenciais do reino de Deus são “justiça, paz e alegria” no Espírito Santo. Aqui a implicação é que se alguém “luta por seus direitos”, em detrimento de outros crentes, essa pessoa não está experimentando relações corretas com eles, harmonia com eles, ou alegria inspirada pelo Espírito. A alegria no Reino do Espírito será uma realidade quando alguém estiver disposto a dar suporte a um irmão mais fraco.

Talvez as declarações mais surpreendentes sobre a alegria inspirada pelo Espírito ocorram em contextos que lidam com perseguição e sofrimento. Um contraste interessante é encontrado em Atos 13, onde nos é dito que os judeus que se opunham a Paulo e Barnabé estavam “cheios de inveja” (v. 45), enquanto os discípulos estavam “cheios de alegria e do Espírito Santo” (v. 52). É possível traduzir essa última expressão como “alegria do Espírito Santo”.

Paulo fala sobre os cristãos tessalonicenses “tendo recebido a obra em muitas tribulações com a alegria do Espírito Santo” (1 Tessalonicenses 1.6, NASB). Uma leitura ligeira desta versão sugere a tradução alternativa “alegria inspirada pelo Espírito Santo”.

Este tema da alegria no sofrimento é comum no Novo Testamento (por exemplo, Colossenses 1.11, 2 Timóteo 1.4, Atos 5.41). A habitação do Espírito de Deus provê a pressão interna necessária para equilibrar qualquer pressão externa na forma de perseguição e sofrimento. Um paradoxo da vida cristã é a experiência da alegria no meio da adversidade.

 

Anúncios

2 comentários em “A Alegria e o Espírito Santo

  1. Excelente texto/tradução!

    “Um paradoxo da vida cristã é a experiência da alegria no meio da adversidade.”

    Eis aí a maior prova da genuína alegria proporcionada pelo Espírito Santo. O verdadeiro cristão não se deixa abater, este se alegra e louva ao Senhor mesmo em meio as intempéries da vida, compreendendo que todas as coisas contribuem para o bem dos que amam a Deus.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s