Hermenêutica

Hermenêutica pós-moderna e o pentecostalismo

“Meu próprio medo é que a análise de Timothy Cargal sobre o pentecostalismo e o seu potencial para ser significativamente influenciado pelo paradigma pós-moderno esteja correto. Certamente, o pós-modernismo tem muito a contribuir a quem ouve. Como resultado das tendências recentes, os evangélicos estão mais conscientes de sua falta de objetividade, da natureza de sua pré-compreensão e da necessidade de ouvir aqueles com quem eles podem discordar. A postura ahistórica e o ceticismo epistemológico do pós-modernismo são extremos e inevitavelmente conduzem ao relativismo. Embora seja evidente que não podemos alcançar a certeza quanto à intenção autoral de textos históricos, no entanto, podemos obter conhecimento. O círculo hermenêutico não é inteiramente vicioso; é na realidade uma espiral.”

– Trecho do texto “Jumping Off the Postmodern Bandwagon” de Robert P. Menzies, teólogo assembleiano, respondendo o teólogo pentecostal Timothy Cargal, um entusiasta da epistemologia pós-moderna. O debate entre os dois ocorreu em 1993 e 1994.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s