Cremos

Creio em um Deus, Pai Todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis; e em um Senhor Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, gerado pelo Pai antes de todos os séculos, Deus de Deus, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado não feito, de uma só substância com o Pai; pelo qual todas as coisas foram feitas; o qual por nós homens e por nossa salvação, desceu dos céus, foi feito carne pelo Espírito Santo da Virgem Maria, e foi feito homem; e foi crucificado por nós sob o poder de Pôncio Pilatos. Ele padeceu e foi sepultado; e no terceiro dia ressuscitou conforme as Escrituras; e subiu ao céu e assentou-se à direita do Pai, e de novo há de vir com glória para julgar os vivos e os mortos, e seu reino não terá fim. E no Espírito Santo, Senhor e Vivificador, que procede do Pai e do Filho, que com o Pai e o Filho conjuntamente é adorado e glorificado, que falou através dos profetas. Creio na Igreja una, universal e apostólica, reconheço um só batismo para remissão dos pecados; e aguardo a ressurreição dos mortos e da vida do mundo vindouro. [O Credo Niceno]

Cremos…
1) Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29);
2) Na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão (2Tm 3.14-17);
3) Na concepção e no nascimento virginal de Jesus, plenamente Deus, plenamente Homem, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Mt 1.23; Rm 8.34; At 1.9);
4) Na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo podem restaurá-lo a Deus (Rm 3.23; At 3.19);
5) Na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8, Ef 2.8,9);
6) No perdão dos pecados, na salvação plena e na justificação pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 7.25; 5.9);
7) Na Igreja, coluna e firmeza da verdade, una, santa e universal assembleia dos fieis remidos de todas as eras e todos os lugares, chamados do mundo pelo Espírito Santo para seguir a Cristo e adorar a Deus (Jo 4.23; 1Tm 3.15; Hb 12.23; Ap 22.17);
8) No batismo bíblico efetuado por imersão em águas, uma só vez, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12);
9) Na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb 9.14; 1Pe 1.15);
10) No batismo bíblico com o Espírito Santo, que nos é dado por Jesus Cristo, mediante a evidência física do falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7);
11) Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme Sua soberana vontade para o que for útil (1Co 12.1-12);
12) Na segunda vinda de Cristo (1Ts 4.16, 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 14);
13) No Juízo Final, onde serão julgados os que fizerem parte da Última Ressurreição; e na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46; Ap 20.11-15).

6 comentários em “Cremos

  1. … “gerado pelo Pai antes de todos os séculos, Deus de Deus, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado não feito, de uma só substância com o Pai”…

    Gostaria de receber, se possível, algum comentário sobre o excerto acima, para meu esclarecimento. (É verdade que o texto pode estar suficientemente claro; mas também é verdade que se faz necessária alguma ajuda, se minha visão é demasiadamente curta.)

    Qual “produto” o credo está indicando, como sendo o resultado desse processo de “geração” que não é “feitura”?

    Curtir

  2. A palavra “gerado” é usada pela teologia porque é a que mais chega perto de expressar esse mistério, mas não expressa totalmente. Cristo foi “gerado” pelo Pai porque é da mesma “substância” que ele, é Deus como o Pai é, e por isso não pode ter um dia inexistido, já que é eterno. É importante evidenciar que o Filho é uma pessoa diferente do Pai, mas é Deus com o Pai com o Espírito. Logo não há três deuses, mas um só Deus. Mais uma vez a limitação da nossa linguagem e da nossa lógica, mas é assim que a Escritura nos revela.

    Curtir

  3. O que acho interessante sobre “gerado” é a metáfora que CS LEWIS usa, ele basicamente usa a figura do fogo: quando o fogo surge a luz surge junto no mesmo instante, não há um só momento que a luz e o fogo são separados. Assim é o Filho e o Pai, não houve nenhum momento que era PAI E ESPÍRITO SANTO. Sempre foi ,é e será : PAI, FILHO e Espírito SANTO

    Curtir

  4. acho extrema bobagem usar raciocinio humano e comparaoes tao mediocres (pois sao muito limitdos) ao pensar em divino e eternidade
    pois se penser em eternidade ja ve que é tao complexo quanto os misterios divinos e que nao tem comparaçoes que lhes atribua menor explicaçao¹

    Curtir

Os comentários estão encerrados.